Loading...

domingo, 15 de julho de 2012

Grávida perde bebê e irmã diz que houve negligência médica, em GO


Paciente liberada no dia em que sentiu fortes contrações, denuncia irmã.
Diretoria do Hospital das Clínicas alega que não foi informada sobre o caso.

Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera

A família de uma paciente de 40 anos denuncia que ela perdeu o filho durante a gestação por causa de negligência médica, no Hospital das Clínicas, em Goiânia. Segundo a irmã dela, o parto deveria ter sido realizado na última sexta-feira (6), pois, foi o dia que ela sentiu fortes contrações.
“Neste dia, minha mãe implorou para eles internarem minha irmã, mas eles alegaram que por causa da greve não poderiam fazer o procedimento. Além disso, fomos informados que não tinha pediatra de plantão para fazer o parto. Eles verificavam somente os batimentos cardíacos do bebê e falavam que estava tudo bem. Mandaram ela para casa sem fazer o ultrassom e, na sexta –feira (13), foi constatado que o bebê estava atravessado e já não tinha mais batimentos fetais”, revela a tia do bebê, que preferiu não ser identificada.
Ela ainda afirma que a criança estava saudável. “Eu pedi, implorei, justifiquei e argumentei com os médicos, mas eles não fizeram nada. Todos os exames comprovam que o bebê estava bem. Ele já estava com 4 kg”, explica a irmã da paciente, que conclui. “Eles têm direito de fazer o momento, mas não pode haver esse tipo de atendimento e nem acontecer o que aconteceu com a gente. Agora nós esperamos a Justiça seja feita. Iremos fazer uma denúncia no Ministério Público para que as equipes médicas sejam mais vistoriadas. As pessoas não podem ficar sofrendo como a minha irmã”.
Além da suposta negligência médica em relação à morte do bebê, a mulher ainda esperou mais de 10h para fazer a curetagem [procedimento de retirada do feto morto]. Imagens cedidas à TV Anhanguera mostra o momento em que ela aguardava o atendimento no Hospital das Clínicas.
Resposta
Segundo a direção da unidade médica, o departamento não foi informado sobre o caso e, quem deverá responder se houve negligência médica é comando da greve. A produção da TV Anhanguera tentou entrar em contato com os organizadores do movimento, mas até o início da tarde deste sábado (14), ninguém atendeu os telefonemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário