Loading...

PASSAGEM AÉREA

terça-feira, 14 de maio de 2013

Paciente renal não consegue tratamento em SE e vai para SP


Contrato com equipes médicas não foi renovado.
Lista de pacientes a espera de transplante não está sendo atualizada.

Do G1 SE
Pacientes que precisam de tratamento e transplantes para os rins, em Sergipe, estão tendo que ir para hospitais de outros estados para conseguirem atendimento. Os procedimentos médicos não são mais realizados devido o término do contrato com as duas equipes médicas credenciadas pelo SUS. Os profissionais alegam falta de condições de trabalho.
Paciente renal crônico há mais de sete anos, fazendo Hemodiálise e na fila estadual para fazer o transplante de rim, o paciente Manoel conta das dificuldades ao buscar tratamento em São Paulo para fazer exames para entrar na fila nacional. “Uma ajuda de custo de R$ 24,75 para uma diária é muito pouco”, revela.
Segundo a Secretaria Estadual da Saúde o último transplante de rins feito em Sergipe foi realizado no início de 2012. A central de transplantes informa que 82 pacientes estão na fila de espera, mas esse número ainda pode ser maior.
“A gente sabe que no estado nós temos mais de mil pacientes fazendo alguma modalidade diálise e o preconizado é que de 40% a 50% estejam inscritos. Então no mínimo nós deveríamos ter 450 pessoas inscritas para um transplante renal”, explica Benito Oliveira, coordenador da Central de Transplantes de Sergipe.
Com a não renovação do contrato das duas equipes médicas, a lista paciente a espera de transplante não está sendo atualizada. “As condições são precárias. Na época da renovação a secretaria fez comunicado para gente renovar, mas não nos manifestamos, pois nossas reivindicações não foram atendidas”, esclarece o nefrologista, Ricardo Bragança.
O diretor de gestão de sistemas da Secretaria Estadual da Saúde, Hélio Farias, explicou que a dificuldade está na falta de um hospital para fazer o atendimento. “Nós estamos   sem condições de fazer os transplantes no Hospital São Lucas, pois ele não manifesta interesse de realizar esse procedi mento pelos valores pagos através do Sistema único de Saúde.
O diretor disse também que o governo está equipando o hospital universitário para que os transplantes possam ser feitos lá. Ele acredita que isso pode acontecer ainda este ano.
O superintendente do São Lucas disse que o hospital ainda continua credenciado pelo SUS. “O hospital São Lucas continua autorizado e credenciado para realizar os transplantes”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário