Loading...

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Integrantes do MST são presos após invasão em Monte Alegre de Minas


Local foi ocupado pela primeira vez em 2011.
Incra disse que fazenda foi vistoriada e considerada improdutiva.

Mariana Goulart G1 Triângulo Mineiro

 
Grupo foi parar na Delegacia depois de ocupação (Foto: Flávio Henrique/G1)Grupo foi parar na Delegacia depois de ocupação (Foto: Flávio Henrique/G1)
Vinte e  cinco integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) foram presos nesta terça-feira (1º) em Monte Alegre de Minas, no Triângulo Mineiro. Segundo informações da Polícia Militar (PM), as prisões foram feitas porque o movimento ocupava a Fazenda Palermo, que fica a 15 quilômetros do centro da cidade, desde a madrugada. De acordo com os militares, havia uma liminar da Justiça solicitando a reintegração de posse do local. No entanto, há uma determinação de desapropriação da área assinada pela presidente Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União, no dia 26 de dezembro.
Ainda de acordo com a PM, apesar da publicação do documento, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) precisa comparecer ao local e analisar se é de interesse para a reforma agrária e isso ainda não aconteceu. Em nota, a assessoria de imprensa do Incra informou que o processo administrativo para avaliação da fazenda foi aberto em 2010 e que houve vistoria, ficando constatado que a área era improdutiva e por isso foi decretada a desapropriação para fins de reforma agrária. A próxima etapa no processo de desapropriação é o depósito em juízo do valor avaliado. Caso o proprietário não concorde com este valor, poderá contestar na Justiça.
Por telefone, o proprietário da fazenda, Adevanir de Lima, afirmou que não há nenhuma negociação com o Incra e que a fazenda não será desapropriada. Com o documento da reintegração em mãos, Adevanir procurou a PM de Monte Alegre que foi até a fazenda e retirou os ocupantes.
Esta não é a primeira vez que o local é invadido. Em 2011 foi registrada a primeira ocupação na fazenda. O coordenador da Pastoral da Terra, Frei Rodrigo, informou que a ação dos militares foi violenta e incorreta, uma vez que a determinação da presidente revoga qualquer outra liminar da Justiça. Integrantes do movimento alegam terem sido agredidos, algemados e tiveram seus veículos guinchados e removidos para o pátio de Monte Alegre.
Os presos foram levados para a delegadia e assinaram um Termo Circustanciado de Ocorrência (TCO) se comprometendo a comparecer na proxima sexta-feira (3) para prestar esclarecimentos sobre a invasão. Depois da assinatura, todos foram liberados. Nove carros e uma moto foram apreendidos e encaminhados para o Pátio de Veículos da cidade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário