quinta-feira, 30 de abril de 2015


Servidores da Educação fazem ato e paralisam atividades por 24h no AC


Servidores protestaram por melhorias de trabalho e aumento salarial.
Ato foi realizado em frente ao Palácio Rio Branco, no Centro da capital.

Aline Nascimento Do G1 AC
Servidores pedem melhorias e aumento salarial  (Foto: Manoel Façanha/Arquivo pessoal)Servidores pedem melhorias e aumento salarial (Foto: Manoel Façanha/Arquivo pessoal)
Professores, técnicos administrativos e demais servidores da Educação do estado do Acre paralisaram as atividades, nesta quinta-feira (30), por aumento salarial, mais funcionários no quadro e melhorias nas escolas do estado. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), funcionários municipais e estaduais de 31 escolas compareceram ao ato, realizado em frente ao Palácio Rio Branco, no Centro da capital. O protesto reuniu em média 500 servidores, segundo o Sinteac, e finalizou às 12h (14h, no horário de Brasília).
A presidente da Central Única de Trabalhadores (CUT) e do Sinteac, Rosana Nascimento, explicou que todos os sindicatos ligado à CUT estiveram presentes no protesto para apoiar os servidores da Educação do estado. Servidores de ao menos 31 escolas, entre municipais e estaduais, segundo Rosana, compareceram ao ato.
"Todos estão parados. Alguns não quiseram parar porque não têm coragem de vim para luta, mas os que têm estão aqui com o coragem e determinação, unidade no movimento sindical com todos os sindicatos presentes. É um movimento unificado. Queremos mais condições de trabalho, valorização profissional e somos contra a terceirização profissional", disse a sindicalista.
Professor da rede estadual há mais de 20 anos, José Oliveira da Cruz, disse que o protesto não é apenas por aumento salarial, mas também para que o governo elabore novas medidas de planos de carreira, administrativo e, dessa forma, ofereça mais condições aos professores.
"Uma das grandes reivindicações é a questão salarial, mas, não é só salário que irá resolver o problema da Educação, é um conjunto de medidas. O salário é de onde a gente tira nosso sustento. Não adianta querer tapar o sol com a peneira, houve alguns avanços mas eles estão diminuindo cada vez mais. Conquistamos alguns planos de carreira, mas esses ganhos foram corroídos pela inflação. A estrutura da educação no Brasil e no Acre está em ruínas, está estagnando", reclama o professor.
Para o técnico administrativo Valdir França, a luta por melhorias na Educação é uma questão de todos. "Se para os professores está ruim, imagina para os técnicos administrativos. São merendeiras, serventes, vigias e o pessoal de apoio, todos ganham abaixo de um salário mínimo.Também temos uma bandeira de luta e queremos melhorias", disse.
A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município do Bujari, Sandra Chagas, esteve presente no protesto para reivindicar o salário atrasado dos 50 professores rurais da cidade. Ela conta que há três meses os educadores não recebem, não têm transporte e nem merenda nas escolas.
"Os professores contratados provisórios estão há três meses sem receber, os órgãos públicos precisam fazer um reajuste, porque como a categoria vai trabalhar sem ter um incentivo no salário? A gente sabe que já é difícil trabalhar na zona rural e sem receber fica pior ainda. As escolas ficam distantes, não temos combustível para chegar até o local, não tem água potável, merenda e a estrutura da escola não é de qualidade. Quando chove, molha mais dentro do que fora", finaliza.
Após o protesto, uma comissão com nove representantes da Educação foi recebida pelos parlamentares na Aleac.

Após um ano, mais um aparelho respirador some de hospital na Bahia


Equipamento desapareceu do Hospital de Base de Itabuna, no sul do estado.
'É algo que desconfiamos estar próximo do hospital', diz diretor da unidade.

Do G1 BA
Modelo de respiradores que foram roubados em março de 2014. (Foto: Imagens/Tv Bahia)Modelo de respiradores que foram roubados
em março de 2014. (Foto: Imagens/Tv Bahia)
Um ano após três aparelhos de respiração  desaparecerem do Hospital de Base de Itabuna, no sul da Bahia, mais um equipamento sumiu da unidade de saúde, segundo informou ao G1 nesta quinta-feira (30), o diretor do hospital, Paulo Bicalho.
O registro de sumiço dos três respiradores foi em março de 2014. Os equipamentos ficam armazenados em uma sala do pronto de socorro do hospital. Eles podem ser utilizados pelos enfermeiros, auxiliares e médicos no atendimento de pacientes com problemas respiratórios.
De acordo com Bicalho, durante uma revisão do equipamento na noite da última quinta-feira (23), o técnico percebeu a falta do respirador e informou a direção médica. Por conta dos desaparecimentos, o Hospital de Base possui agora 14 aparelhos.
"Nós tínhamos 12 novos respiradores, mas três foram roubados, então ficamos com nove. Com isso, começamos a consertar os antigos e a cada dois meses, um passava a funcionar aqui [no hospital ]. Conseguimos ter seis aparelhos funcionando e, no total, 15 operavam até o início de abril. Agora, com menos um, estamos usando 14. Esse número continua atendendo à nossa demanda", relata o diretor da unidade de saúde.
Sobre o desaparecimento, Bicalho conta que o aparelho é grande, possui quase 50 kg e que ninguém informou ter visto a retirada dele do local. Disse ainda que o técnico que faz a revisão dos respiradores não tira o equipamento do hospital.
Por conta da situação, uma sindicância interna foi aberta na unidade de saúde. "Assim que fomos avisados passamos a sexta-feira [24] em busca interna, entrando em quartos e salas para ver se alguém não tinha guardado ele em algum lugar. Quando não encontramos, vimos a necessidade de uma sindicância interna e convocamos as especialidades envolvidas como médicos e enfermeiros. Ainda não sabemos o que ocorreu no ano passado, nem este ano. Fizemos uma queixa, estabelecemos um inquérito e a polícia está trabalhando há um ano com isso. É algo que desconfiamos estar próximo do hospital. Alguém que está lesando o patrimônio", explica Bicalho.
Os funcionários do hospital já foram ouvidos, mas não há uma explicação de como os aparelhos foram levados sem que ninguém percebesse. O prejuízo estimado é de R$ 135 mil com o sumiço dos três aparelhos no ano passado. Já em relação a este último, o diretor não informou o valor por ser um aparelho antigo e o preço dele pode estar defasado.
Das quatro saídas, apenas a da emergência é monitorada por câmeras de segurança. A delegada responsável pelo caso, Lisdaili Nobre disse que a investigação é de caráter sigiloso e não pode passar informações porque os avanços feitos na investigação podem ficar comprometidos, caso sejam divulgadas.

Italiano 'bate telefone na cara' do Papa achando que ligação era trote


Franco Rabuffi desligou por duas vezes ligação papal e pediu desculpas.
Francisco tem hábito de telefonar para enfermos e oferecer consolo.

Da France Presse
Papa Francisco ri durante a audiência-geral do Vaticano nesta quinta-feira (30) (Foto: Andrew Medichini/AP)Papa Francisco ri durante a audiência-geral do Vaticano nesta quinta-feira (30) (Foto: Andrew Medichini/AP)
Um italiano que bateu duas vezes o telefone na cara do papa Francisco, por achar que se tratava de um trote, se apresentou na quarta-feira no Vaticano para pedir desculpas ao pontífice, informou o jornal "l'Osservatore Romano".
Jorge Bergoglio costuma ligar para pessoas doentes para oferecer consolo e na última segunda-feira (27) foi a vez de Franco Rabuffi receber o telefonema.
Rabuffi, no entanto, achou que estava sendo alvo de um trote e desligou o telefone em duas ocasiões. Na terceira vez, ficou em dúvida e atendeu. "Fiquei sem palavras, mas Francisco veio em minha ajuda e me disse que o que aconteceu era engraçado", contou.
Rabuffi foi com sua esposa à audiência-geral do Vaticano para apresentar suas desculpas ao pontífice.

A política chegou ao fundo do poço, precisa de renovação


Carlos Newton
A presidente Dilma Vana Rousseff foi a São Paulo na segunda-feira com objetivo único de perguntar a Lula se deveria enfrentar as adversidades e fazer o pronunciamento à nação no Primeiro de Maio, que é uma tradição desde os tempos de Getúlio Vargas, quando o país quase todo acompanhava pelo rádio os sensacionais discursos do chefe do governo. Naquela época, nem todo mundo tinha rádio, as famílias abriam as portas aos vizinhos e ainda havia muitos locais aonde o sinal das estações não chegava, nem mesmo em ondas curtas.
É claro que Lula disse que Dilma não deveria se expor. O panelaço iria entrar no Livro Guinness de Recordes como o maior do mundo. Lula sabe que o desencanto é contagiante e já atinge até os petistas. A cada dia, confirma-se a certeza de que Dilma não serve para governar. Virou personagem de ficção, como uma pobre menina rica que não pode sair de seus luxuosos palácios, com medo de encontrar o povo.
A rejeição é tão grave que começa a atingir outros personagens da política, como aconteceu segunda-feira com o vice-presidente Michel Temer, a ministra da Agricultura Kátia Abreu e o governador paulista Geraldo Alckmin, vítimas de apitaço e buzinaço na abertura da Agrishow 2015, em Ribeirão Preto. A coisa foi tão grave que até a entrevista coletiva teve de ser cancelada, vejam a que ponto chegou a política brasileira.
PIOR NÃO FICA

Como diz o deputado federal Tiririca, pior não fica. O prestígio dos políticos chegou mesmo ao fundo do poço e eles não podem mais se apresentar diretamente ao público. Como se diz nos últimos tempos, os políticos “não nos representam”.
No meio desse quadro decepcionante, é preciso sempre citar as exceções, pois há políticos que merecem destaque, como o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) e o senador Antônio Reguffe (PDT-DF), que mantém as mãos limpas e suas carreiras são impecáveis. Gostaria de vê-los disputando a presidência da República em 2018, ficaria na dúvida em quem votar.
Quanto aos militares, é melhor deixá-los nos quartéis, mas não se pode desprezar os estudos político-administrativos que desenvolvem na Escola Superior de Guerra e que deveriam ter sido aproveitados pelos governos do PSDB e do PT, porém, jamais se interessaram em planejar o que fazer em benefício do país e de seu povo.
Há décadas o Brasil é governado sem o menor planejamento. As solução são simples remendos. . Nenhum dos nossos partidos têm um programa de governo que possa chamar de seu. É triste admitir isso

Levy só aceita terceirização se a arrecadação não cair


Deu na Agência Brasil
A terceirização é viável apenas se não provocar perda de arrecadação de tributos, disse hoje (29) o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Em audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, ele declarou que a equipe econômica é favorável ao projeto somente se o impacto tributário for nulo.
“Nossa posição é clara. O importante, do ponto de vista da Fazenda, é que a terceirização só terá chance de sucesso se for tributariamente neutra. O projeto não pode servir de artifício para pagar menos imposto”, destacou o ministro.
De acordo com Joaquim Levy, o governo chegou a tentar fechar um acordo, durante a tramitação do texto na Câmara, que permitisse a simplificação tributária, sem afetar a arrecadação federal. Segundo o ministro, a ideia era garantir a tranquilidade das empresas contratantes, facilitando o pagamento de tributos e de encargos sociais.
“Fizemos proposta de simplificação fiscal, que é a retenção na fonte. Antes de pagar a empresa contratada, a contratante retém [os tributos] na fonte. Isso reduz a exposição, a incerteza jurídica e simplifica o processo inteiro”, esclareceu o ministro.
TEXTO INACEITÁVEL
Para Levy, do jeito que está, o texto provocará não apenas perda de receitas para o governo, mas criará diferentes categorias de trabalhadores. “Não pode existir um trabalhador que paga 27,5% de Imposto de Renda e outro que só tira dividendos e não paga nada à Previdência Social”, criticou.
“De qualquer forma, o debate está sendo retomado na outra Casa [o Senado]. Essas questões serão rediscutidas lá.”

Ao soltar os empreiteiros, Supremo esqueceu o que diz a lei


Jorge Béja
É mesmo triste admitir tudo isso que Carlos Newton, nosso editor, escreveu no seu artigo de hoje “A Política Chegou ao Fundo do Poço, Precisa de Renovação”, tendo CN citado como exemplo: admitir que Dilma não fará pronunciamento à Nação no 1º de Maio, Dia Internacional do Trabalho, quebrando uma tradição desde Getúlio Vargas, quando o povo que tinha rádio ouvia o discurso de Vargas e quem não tinha ouvia pelo rádio dos vizinhos; que Dilma não fará o discurso com medo do panelaço que, certamente, entraria para o Livro Guinness de Recordes como o maior do mundo; que a cada dia confirma-se a certeza de que Dilma não serve para governar; que há décadas o Brasil é governado sem o menor planejamento; que as soluções são simples remendos; que nenhum dos nossos partidos tem um programa de governo que possa chamar de seu…
É mesmo triste admitir tudo isso que Carlos Newton apontou como decepcionante e frustrante. Também é surpreendente constatar que 9 presos pela Operação Lava Jato foram mandados para prisão domiciliar pela Suprema Corte de Justiça do Brasil, sem se saber em qual ou em quais situações previstas na lei eles se encontravam para obter o benefício, considerando que a Lei 12.403, de 4.5.2011, deu a seguinte redação ao artigo 318 do Código de Processo Penal:
Artigo 318 – Poderá o juiz substituir a prisão preventiva pela domiciliar quando o agente for:
I – maior de 80 (oitenta) anos;
II – extremamente debilitado por motivo de doença grave;
III – imprescindível aos cuidados especiais de pessoa menor de 6 (seis) anos de idade ou com deficiência;
IV – gestante a partir do 7º mês de gravidez ou sendo esta de alto risco.
Parágrafo Único – para a substituição, o juiz exigirá prova idônea dos requisitos estabelecidos neste artigo”.
###

Os petistas julgam que os outros brasileiros não têm cérebros


Olisomar P. Pires
Depois de espancar uma pessoa quase até à morte, o agressor, notando testemunhas, ou seja,  não arrependido mas receoso da cadeia, chamou socorro para a vítima e seus graves ferimentos. Identificado o elemento, ele alega não saber direito o que o motivou, mas entende que isso agora é passado, uma página virada, sua consciência está tranquila e tudo o mais está ou ficará bem !
No mundo de fato, assim que o escândalo equivalente se iniciou, os famosos petistas afirmavam não existir corrupção na Petrobrás, contrataram auditorias para provar isso. Com a consolidação das falcatruas e envolvimentos indeléveis, impossibilitados de negar o óbvio, desataram a atacar a oposição e a mídia, inclusive ressuscitando casos de 20 anos passados (com os quais não se importavam até o momento, visto que nada fizeram antes), se levantaram contra o juiz do caso, contra as manifestações voluntárias, contra Deus e o diabo, imaginando e torcendo para que todos fossem ou continuassem tolos.
Percebendo que essa estratégia infame também não aliviaria suas responsabilidades, agora dizem e gritam que a Petrobrás, apesar de tudo, é sólida e seus trabalhadores dignos, que ela não merece tal sofrimento, soltam números e dados da produção petrolífera e dos prêmios conquistados (apesar de tudo, frise-se), mais uma vez querendo eles afirmar – os gênios petistas – que tudo não passa de um golpe contra a empresa, quase implorando que se acredite que os golpistas querem destruir a grande empresa que os petistas e aliados quase destruíram de verdade.
DESCEREBRADOS
Realmente, para continuar agindo assim, eles encaram e julgam o Brasil e os brasileiros como uma nação totalmente desprovida de cérebro, talvez por testar previamente essas hipóteses em seus militantes com sucesso, os quais aplaudem e ainda repercutem essas insanidades.
Os brasileiros honestos e independentes nunca quiseram destruir a Petrobrás para com isso destruir o PT e as razões são bem simples:  1. O PT não é a Petrobrás e 2. A Petrobrás nunca será o PT – ela é muito maior e melhor que esse punhado de  homenzinhos e mulheres horríveis e desestruturados.
Os milhares de servidores aliados aos milhões de acionistas e brasileiros que admiram o trabalho petrolífero realizado há mais de 50 anos, apenas desejam que a mão sombria que se abateu sobre a empresa seja retirada e punida, para que esta, orgulho do Brasil, continue e avance na sua missão gloriosa e lucrativa, sem carregar os parasitas que a sugam.
CORRUPÇÃO
Pensar que a corrupção se iniciou em 2003 com Lula seria inocência, entretanto, não enxergar que sob o domínio petista essa corrupção prosperou, se alastrou, contaminou, se enraizou e virou regra, seria estupidez, pois em 12 anos foi feito mais que nos 500 anos anteriores, como gostam de dizer e comparar – talvez o exagero tenha sido o principal erro da sua conduta desonesta, sendo que ainda há outros nichos a serem devassados.
Se havia uma ferida no dedo do pé, após 12 anos o paciente mal respira com uma infecção generalizada, infecção essa muito bem incentivada e cuidada criteriosamente para que se expandisse, apenas não contavam com a descoberta de antibióticos válidos e médicos persistentes e corajosos.
A Petrobrás é e continua forte, nos próximos anos terá seu verdadeiro valor reconhecido, uma das maiores e melhores empresas do mundo, orgulho do Brasil e dos brasileiros, não é contra ela que se pede justiça e prisão, seria o mesmo que prender a vítima citada no início por haver sido agredida – o povo exige sim a punição do agressor, dos verdadeiros agressores e não adiantarão as tentativas de mudança do foco, esse tempo terminou para o PT e apaniguados.
Um dia voltaremos a acreditar que corrupção é coisa de uns tantos larápios isolados e não, como se apresentou nos últimos anos, um modo de vida e de manutenção do poder.
Olisomar P. Pires é auditor fiscal e autor do livro “Cortes e Lâminas”.

Petrobras apagou gravações que poderiam incriminar Dilma


Fábio Fabrini
Estadão
A Petrobrás destruiu gravações das reuniões do seu Conselho de Administração, entre elas as que trataram de negócios investigados na Operação Lava Jato. Em resposta a pedidos do Estado, feitos por meio da Lei de Acesso à Informação, a estatal informou que áudios e vídeos com os diálogos dos conselheiros são “eliminados” após formalizadas as atas dos encontros. Nos registros supostamente apagados, constavam as participações da presidente Dilma Rousseff, que chefiou o colegiado de 2003 a 2010, quando era ministra da Casa Civil do governo Lula.
A destruição das gravações torna mais difícil saber, em detalhes, como se deram as discussões dos conselheiros ao aprovar os investimentos da companhia. Também compromete a investigação de eventuais irregularidades cometidas por eles no exercício dessas funções. Aos integrantes do colegiado, cabe dar aval para as principais obras da empresa, incluindo empreendimentos alvos da Lava Jato, que apura esquema de corrupção, cartel e superfaturamento na empresa.
CPI E TCU COBRAM
As atas das reuniões registram os assuntos debatidos, mas não na integralidade. Por isso, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás e o Tribunal de Contas da União (TCU) cobram informações sobre o paradeiro das gravações. A estatal vem protelando respostas. A CPI deu prazo até segunda-feira para a entrega dos registros existentes sobre os encontros, sob pena de requerer uma busca da Polícia Federal na sede da petroleira, no Rio de Janeiro.
O tribunal decidiu checar, nas fiscalizações sobre obras e serviços da companhia, se os conselhos Fiscal e de Administração praticaram “atos de gestão ruinosa ou deixaram de atuar com o necessário dever de cuidado” ao aprová-los. Isso significa que a presidente Dilma pode ser implicada por eventuais falhas detectadas nas auditorias.
Atualmente, há ao menos 60 processos sobre a Petrobrás em curso no TCU, dos quais 15 têm conexão com a Operação Lava Jato e dez com a compra de Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). No comando do conselho, em 2006, Dilma aprovou a primeira etapa da aquisição da refinaria, negócio que causou prejuízo de US$ 792 milhões, conforme o tribunal. O ex-diretor Paulo Roberto Costa, um dos delatores da Lava Jato, confessou ter recebido propina para “não atrapalhar” a compra.
O Estado questiona a Petrobrás sobre as gravações desde o início de fevereiro, mas a Gerência de Imprensa da estatal não se pronunciou. Os pedidos foram feitos, então, pela Lei de Acesso, que obriga gestores a divulgarem informações de interesse público.
A Petrobrás informou que as reuniões do Conselho de Administração são registradas por meio de gravador “colocado na sala” do encontro e também por meio de videoconferência. “Após as respectivas atas serem aprovadas e assinadas por todos os membros das respectivas reuniões, as gravações são eliminadas”, alegou a estatal. Segundo a empresa, isso vale para reuniões de março de 2006, com a participação de Dilma, e de 2012, nas quais foram aprovadas as duas etapas da compra de Pasadena. “Os dados (gravados) pretendidos não existem”, acrescentou.
NORMA SIGILOSA???
Os encontros da Diretoria Executiva, responsável pela gestão dos negócios investigados, não são registrados nem em áudio nem em vídeo, segundo a companhia. A Petrobrás explica que a destruição está prevista no Regimento Interno do Conselho de Administração. Mas, questionada pelo Estado, a Gerência de Imprensa não apresentou o documento. A reportagem também o solicitou à secretaria responsável por auxiliar o Conselho de Administração. O órgão informou que a norma é sigilosa.
Ao TCU, a estatal explicou que elimina os registros, mas não entregou à corte o normativo que, em tese, autoriza a prática. A corte quer saber em que condições os arquivos são apagados e desde quando.
GRAVAÇÕES DESTRUÍDAS
Dois conselheiros de administração informaram do Estado que a estatal “tradicionalmente” destrói as gravações. O procedimento só cessou após a Operação Lava Jato, deflagrada em março do ano passado, como forma de “manter” informações e evitar problemas com os investigadores. “As atas das reuniões são um registro precário. Certamente, um áudio permite visão bem mais completa do que ocorre (nos encontros)”, disse, reservadamente, um dos conselheiros.
Outras empresas controladas pelo governo não gravam as reuniões. A Eletrobras e a Caixa explicaram que os encontros de seus conselheiros de administração são registrados somente em atas. O Banco do Brasil informou que a gravação não é praxe e só ocorre quando as discussões são mais complexas, para facilitar a elaboração das atas. Nesses casos, depois da produção dos documentos, as gravações são apagadas, informou a assessoria.

Dilma diz que a corrupção é culpa das "oligarquias rurais"

. Não, senhora, a culpa é das "oligarquias sindicais"!

 Dilma e as "oligarquias sindicais", antro da corrupção que assola o país.
Ontem, Dilma Rousseff atacou as "oligarquias rurais", afirmando que elas são responsáveis pela corrupção no Brasil. Uma afirmação bem ao gosto da corrupta Contag, do MST e da turma do Stedile. Ofendeu famílias que transformaram o campo brasileiro no setor de maior desenvolvimento da economia do pais. Ofendeu um setor que neste momento ainda mostra pujança, realizando duas grandes feiras, a Agrishow e a Expozebu, onde ela não tem coragem de botar o pé, pois sabe que será vaiada. Disse a presidente:
“A confusão entre o que é bem individual e o que é bem público decorre de uma coisa chamada patrimonialismo, que era típico da oligarquia rural brasileira, que achava que o Brasil como nação era só dela.”
Dilma Rousseff deveria culpar, isto sim, as "oligarquias sindicais" que estão assaltando os fundos de pensão e que quase quebraram a Petrobras. A oligarquia do Sindicato dos Bancários, do Sindicato dos Metalúrgicos, da CUT. É ali que mora a corrupção. É ali que ela se proliferou com a chegada do PT ao poder, este partido que em 12 anos roubou mais do que foi roubado em mais de 500 anos da nossa História.
BLOG DO CORONEL

Eduardo Cunha exalta força do PMDB e tripudia sobre o PT.


(O Globo) Em jantar do PMDB, o PT virou prato principal. Entre 40 e 50 deputados do partido decidiram confraternizar na noite de terça-feira, no apartamento de Newton Cardoso Júnior (MG) — o filho do ex-governador mineiro Newton Cardoso. No cardápio, dadinhos de tapioca, linguiça mineira e arroz carreteiro. Aos apreciadores, estava disponível uma cachaça de Salinas (MG), cidade famosa pela qualidade de sua aguardente. 
O toque político, no entanto, foi dado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, em discurso de três minutos, enalteceu o atual “protagonismo” do PMDB na Câmara e foi irônico, fazendo troça com as seguidas derrotas do PT em votações no plenário. Em pé, a seu lado, estava o ministro do Turismo, o peemedebista Henrique Eduardo Alves. O ministro Eliseu Padilha, da Secretaria de Aviação Civil, também compareceu. 
Para gargalhadas dos convidados, Cunha disse que o PT só ganha votação na Câmara quando o PMDB fica com pena: — Muito bom ver essa bancada unida. É um bom momento para todos nós. Não ter dependido do PT e da oposição (para ganhar a eleição de presidente da Casa) permitiu ao PMDB esse protagonismo político. E nos deu a liberdade para fazer o que estamos fazendo. É só olhar. É impressionante. Onde o PT vai, está todo mundo contra. No plenário... Impressionante. O PT não ganha uma votação. Só quando a gente fica com pena na última hora.
Outro deputado do PMDB, aproveitou a deixa do presidente e comparou o desempenho do PT na Câmara à sofrida goleada imposta pela seleção da Alemanha ao Brasil na Copa do Mundo de 2014.— Isso aí. É 7 a 1 — disse o deputado. Todos em pé, ao redor da mesa, celebravam. O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), deu vivas ao anfitrião mineiro. Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), em bronca humorada, cobrou de Cunha menos rigor com os parlamentares faltosos às sessões de votação, que têm seus salários descontados: — E abaixo o corte de salários! — bradou Vieira Lima.
Cunha aproveitou a deixa. — Ainda bem que ele (Newton Cardoso Jr) não entrou no corte. Por isso, pode patrocinar o jantar. (...) Me perdoem o desconto de salários.
Nos relatos feitos ao GLOBO nesta quarta-feira, deputados do PMDB elogiaram o cardápio, falaram da união do partido, mas, alguns deles, desconversavam sobre o discurso político e as farpas no PT. — Falamos de futebol e pescaria — disse Carlos Marun (PMDB-MS). Darcísio Perondi (PMDB-RS) contou que se tratou de política no jantar.

TSE multa PT em R$ 23 milhões por fraudes financeiras no Mensalão.


(Folha) O Tribunal Superior Eleitoral rejeitou parcialmente a prestação de contas apresentada pelo PT em 2009 por uso irregular do fundo partidário para quitar empréstimo simulado no escândalo do mensalão. Os ministros ainda determinaram, nesta quinta-feira (30), que o partido devolva R$ 4,9 milhões aos cofres públicos. O TSE também fixou que a legenda, que enfrenta uma crise financeira, ficará sem receber três parcelas mensais do fundo partidário em 2015, cerca de R$ 29 milhões. 
O fundo partidário, abastecido com recursos públicos, é usado para manter a infraestrutura das siglas e para vitaminar campanhas eleitorais. Os partidos vão dividir neste ano R$ 867,5 milhões, dos quais R$ 117,39 milhões caberiam ao PT. A principal irregularidade considerada por 6 dos 7 ministros do tribunal foi o uso de R$ 2,3 milhões fundo em 2009 para pagar um empréstimo com o Banco Rural. 
Em 2012, no julgamento do mensalão, os ministros do Supremo Tribunal Federal consideraram que os empréstimos do partido com a instituição financeira foram operações simuladas para tentar esconder o esquema de desvio de recursos públicos e pagamento de propina a congressistas no início do governo Lula. 
Relator do caso, o ministro Admar Gonzaga avaliou que não cabia ao TSE analisar o empréstimo do Banco Rural, que já foi alvo de processo penal, uma vez que o PT não figurou entre os réus do processo do Supremo. O ministro considerou grave a simulação, mas defendeu que ao TSE cabe julgar se o balanço está correto. O relator ficou isolado. O ministro Gilmar Mendes puxou a divergência e considerou que os empréstimos não poderiam ser validados pela Justiça Eleitoral. Ele foi seguido por outros cinco ministros.
"Temos prisão dos banqueiros, decisão do Supremo. Essa irregularidade, por ela foram punidos agentes do partido. Esses agentes usaram verbas que não poderiam ser utilizadas, comprometendo a higidez das contas do partido", disse o ministro João Otávio de Noronha. O ministro Luiz Fux seguiu o discurso. "O Supremo considerou empréstimo simulado para fins de imputação penal. Isso faz coisa julgada em qualquer outra esfera." Presidente do TSE e ministro do STF, Dias Toffoli reforçou que "o acordo foi considerado uma simulação." 
Além da punição por conta do empréstimo, o PT não conseguiu comprovar gastos de R$ 2,3 milhões em despesas, como repasses para diretórios estaduais, gastos com passagens, entre outros. Em 2009, a sigla recebeu R$ 23 milhões do fundo partidário. A legenda pode recorrer da decisão. Procurado, o PT ainda não se manifestou sobre o julgamento.
BLOG DO CORONEL

Renan ataca duramente Dilma e Temer.


(O Globo) No mais duro ataque à presidente Dilma Rousseff, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou agora a proposição de um “pacto pela preservação do emprego” que dure até o fim da recessão e a retomada do crescimento no país. Ele disse que tomou a iniciativa para suprir a paralisia e o vazio do Governo e chamou de “ridícula” a decisão da presidente de não ir à TV no dia do trabalhador por não ter o que dizer. 
Renan disse que a democracia foi conquistada no Brasil para deixar que a panelas falem. Disse ser preciso ouvir o que as panelas tem a dizer. Também criticou a condução da articulação política feita pelo vice-presidente Michel Temer, disse que o PMDB não pode substituir o PT no que tem de pior, que é o aparelhamento do Estado, e que não pode ser um coordenador de recursos humanos.
— Não há nada pior do que a paralisia, a falta de iniciativa e o vazio. Nós conquistamos a democracia no Brasil para deixar que as panelas se manifestassem. Precisamos ouvir o que as panelas dizem. Certamente a presidente Dilma não vai falar porque não tem o que dizer aos trabalhadores. Por isso estou propondo esse pacto em defesa do emprego. Assim como temos meta de inflação, de superávit fiscal, temos que ter também uma meta de emprego — disparou Renan, informando que o senador José Serra (PSDB-SP) e outros economistas vão ajudar a coordenar as medidas desse pacto.
Segundo Renan, depois de uma sessão no dia 5 de maio, com economistas e empresários, no plenário do Senado, para discutir medidas para estimular empresas que geram vagas de emprego, ele irá fazer um pronunciamento e depois levar a ideia à presidente Dilma. — Espero que ela compre a ideia. Vai ajudá-la a sair do imobilismo e preencher esse vazio e paralisia. Não ter o que dizer na TV no dia 1º de maio é uma coisa ridícula, um retrocesso — completou Renan.
Com o ex-ministro do Turismo Vincius Lage ao lado — hoje seu assessor no gabinete — Renan também atacou duramente o papel do PMDB na articulação política do governo e da distribuição de cargos para conter a base. Diz que não indicará mais nenhum cargo ao governo, que a coalizão existente hoje não tem fundamento e o papel do PMDB deve ser dar fundamento programático, não ser “coordenador de RH”.
— O PMDB não pode substituir o PT no que ele tem de pior, que é o aparelhamento do Estado brasileiro. Não se trata de saber quem é o dono do aparelhamento, trata-se de acabar com o aparelhamento . Não se pode transformar a coordenação política em coordenador de RH, da boquinha. Não precisamos apenas mudar o dono do aparelhamento do Estado. O PMDB tem que dar qualidade e fundamento à coalizão — criticou Renan.
No pacto em defesa do emprego anunciado por Renan, algumas medidas que ele diz estarem sendo discutidas inclui: beneficiar setores que criam empregos, estimular mais compras governamentais com essas empresas, aumento de crédito do Banco do Brasil, CEF e BNDES para que essas empresas preservem os empregos, manter criteriosamente a desoneração da folha de pagamento dessas empresas.
A terceirização, disse, também pode entrar nesse pacote, mantendo a regulamentação de 12 milhões de empregados terceirizados, mas sem aprovar a terceirização para atividades fim. — Tudo que o governo quiser propor nesse sentido será bem vindo. Esse é um pacto dos dois poderes — Executivo e Legislativo — para dar uma diretriz ao governo que está sem agenda, iniciativa. O vazio é que fragiliza o governo — disse Renan.
MEDIDAS
As primeiras medidas concretas na área de emprego, anunciadas por Renan, será a colocação na pauta de votações, já na semana que vem, a regulamentação da nova legislação de proteção as empregadas domésticas e a lei de arbitragem, definida por ele como um esforço que se faz com o apoio do Judiciário para que muita coisa, ao invés de ser levada aos tribunais, seja resolvida por meio de mediação.
Ao defender a inclusão de um senador da oposição na coordenação desse pacote, Renan disse que Serra tem colaborado com soluções “criativas e inteligentes”, como o projeto que permite a estados e municípios usarem 70% dos depósitos judiciais para gerar receita nesse momento de crise fiscal. Sobre a preocupação do ministro Joaquim Levy com os bancos oficiais que deixariam de ganhar com o uso desses recursos para empréstimos, Renan disse que CEF, Banco do Brasil e BNDES poderiam receber uma remuneração, sem compromete o pacote de ajuste fiscal.

E aproveitou para criticar o pacote de ajuste fiscal do governo, que não prevê corte de gastos no Executivo. — Esse pacote sequer pode ser chamado de ajuste fiscal. Para ser ajuste fiscal tem que cortar na própria carne, reduzir o número de ministérios, sem isso é ajuste trabalhista, pois só corta direitos trabalhistas, quem vai pagar a conta do ajuste é o trabalhador — completou Renan.
BLOG DO CORONEL

Chuvas causam duas mortes e 10 mil estão desabrigados em Cuba


Foram registrados 27 desabamentos e os ventos chegaram a uma velocidade de 98km/h
Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)
As chuvas que caíram na tarde da última quarta-feira (29) na capital Havana, em Cuba, causaram duas mortes e deixaram mais de 10 mil desabrigados. Três imóveis ficaram destruídos, de acordo com a imprensa local. 
Segundo o jornal Granma, as chuvas afetaram o sistema elétrico e causaram inundações. Os ventos alcançaram uma velocidade de até 98 km/h. 
Foram registrados 27 desabamentos, sendo 24 parciais e três totais, conforme o diário.
Carros encalhados são vistos em uma rua inundada durante forte tempestade em Havana, Cuba. Duas pessoas morreram, três edifícios desabaram e outros 24 sofreram algum tipo de dano devido à forte chuva que atingiu várias partes da cidade (Foto: Yamil Lage/AFP)
Ruas inundadas na cidade de Havana em Cuba
Foto: Yamil Lage/AFP 

Depois de um exame, americana descobre que tem duas vaginas


A descoberta veio após um exame simples nos rins

por
Acorda Cidade
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Foto: Divulgação
A vlogueira americana Cassandra Bankson, de 22 anos, famosa tutoriais de maquiagem no canal Youtube, afirmou ao jornal britânico Daily Mail que possui duas vaginas.
A descoberta veio após um exame simples nos rins. "Há abertura de apenas uma vagina, mas dentro há outra vagina, dois úteros, dois colos do útero e duas trompas de falópio", disse Cassandra.
A americana afirmou ainda que ficou chocada, mas afirmou que não está impedida de ter filhos. "Desde jovem eu ia a médicos porque sangrava por 28 dias, como se tivesse duas menstruações por mês. Eles nunca suspeitaram que tenho uma segunda vagina", contou ao tablóide.

Dilma Rousseff defende diferenças para terceirização de trabalhadores


Dilma fez um balanço sobre as políticas de emprego e renda

por
Yara Aquino - Agência Brasil
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Na abertura de reunião com representantes das centrais sindicais, hoje (30), no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff voltou a defender a necessidade de uma legislação que regulamente a terceirização.
Segunda ela, a regulamentação precisa manter a diferença “da terceirização entre atividade-fim e atividade-meio nos mais diversos ramos da atividade econômica”. Para a presidente, é preciso aprovar uma legislação que não precarize o trabalho.
“É urgente e necessário regulamentar o trabalho terceirizado para que milhões de trabalhadores tenham proteção no emprego e garantia de salário digno, também é importante para os empresários porque significa segurança para eles, uma legislação clara sobreterceirização”, completou.
A presidente aproveitou a reunião para fazer um balanço das políticas trabalhistas do governo, já que esse ano não fará pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão no 1° de maio, Dia do Trabalho.
Ao citar a data comemorativa, Dilma fez um balanço sobre as políticas de emprego e renda. Citou a importância da valorização do salário-mínimo. Lembrou que foi enviada ao Congresso Nacional lei que define o reajuste do mínimo de 2015 a 2019. “É fundamental que possamos garantir por lei até 2019 o aumento do poder de compra do salário e queria lembrar que, nos 4 anos do meu primeiro mandato, por conta da política de salário-mínimo que adotamos em 2011, tivemos aumento 14% do salário-mínimo acima da inflação”. Ele destacou que o emprego no país foi mantido mesmo com os efeitos da crise financeira internacional.
A presidente voltou a defender as medidas de ajuste fiscal para enfrentar a crise financeira. Explicou que o governo tomou medidas contracíclicas sem redução de salários e com ampliação do subsídio ao crédito e do investimento público. Dilma explicou que, agora, foram necessários os ajustes devido a fatores internacionais e nacionais como a seca prolongada. “Tomamos um conjunto de medidas e fizemos ajustes porque queremos reduzir a inflação e queremos fazer esses ajustes para voltar a crescer em bases sólidas”, disse.
Na reunião, Dilma anunciou a criação do Fórum de Debates sobre Políticas de Trabalho, Renda, Emprego e Previdência formado por representantes de centrais sindicais, empresários, aposentados e pensionistas e governo. Ela explicou que a pauta do fórum terá seis itens: sustentabilidade do sistema previdenciário; regras de acesso como idade mínima, tempo de contribuição e fator previdenciário; políticas de fortalecimento do trabalho, emprego e renda; medidas para reduzir a rotatividade no mercado de trabalho; formalização e aperfeiçoamento das relações trabalhistas; e propostas e políticas de aumento da produtividade do trabalho.
Aos representantes das centrais, ela defendeu o diálogo como forma de construir propostas e consenso para que sejam atingidos os objetivos esperados. “Vai nos caber encontrar a melhor estratégia e definir o instrumento mais eficiente para que nossos objetivos sejam atingidos”, disse.
Sem citar caso específico, a presidente disse que considera as manifestações dos trabalhadores  legítimas e não devem ser respondidas com violência. “Consideramos que as manifestações dos trabalhadores são legítima e temos que estabelecer esse diálogo sem violência”, avaliou. Ontem (29), uma manifestação de professores em Curitiba (PR), terminou com diversas pessoas feridas entre manifestantes e policiais.

TSE rejeita contas do PT e multa o partido em R$ 4,9 milhões


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reprovou parcialmente as contas de 2009 do PT e condenou o partido a pagar uma multa de 4,9 milhões de reais. A decisão foi tomada nesta quinta-feira pelo plenário da corte. Também por causa das irregularidades, a legenda ficará três meses sem receber as conta do fundo partidário. Isso deve significar uma perda de mais de 10 milhões de reais. A rejeição parcial das contas foi aprovada por unanimidade. Houve discrepância apenas sobre o valor da multa, que foi aprovado por seis votos a um. A punição está ligada ao episódio do mensalão. Em 2009, o partido usou verbas do fundo partidário para pagar parcelas do empréstimo fictício feito com o Banco Rural em 2003, como parte do esquema de compra de votos de partidos aliados no Congresso. Como o empréstimo era de fachada, a corte considerou que os recursos públicos não poderiam ter sido empregados na transação. A multa também leva em conta pagamentos irregulares feitos a fornecedores do partido. O relator do caso, Admar Gonzaga, havia sugerido uma multa de 2,3 milhões de reais. Mas prevaleceu a proposta do ministro Gilmar Mendes, que propôs um valor mais elevado. Ele foi acompanhado pelos colegas Luiz Fux, João Otávio de Noronha, Maria Thereza de Assis Moura, Henrique Neves da Silva e Dias Toffoli. (Veja)

50 policiais se recusam a atirar contra grevistas. Serão exonerados, diz militar


Pelo menos 50 policiais militares se recusaram a jogar bombas de gás e pimenta nos manifestantes no Centro Cívico, durante a batalha campal que se instalou nesta quarta-feira. Quem sabe, esses mesmos militares poderiam estar atirando, com balas de borracha, em algum membro da família. Até pode ser um ato de desobediência, mas, também, um ato de coragem que deveria ser seguido pela maioria dos policiais que estava no cordão de isolamento da Assembleia Legislativa e que, a mando do comando, acabou entrando em luta corporal com professores e estudantes. O Palácio Iguaçu afirma que haviam black booster infiltrados e que teriam sido os responsáveis pelo início do tumulto que resultou em dezenas de pessoas feridas, atendidas em um improvisado hospital na Prefeitura de Curitiba e alguns presos. Um policial informou que as bombas brancas eram apenas compostas por talco, que seriam usadas durante a Copa do Mundo e que foram lançadas ontem, sem qualquer problemas às pessoas. As bombas azuis continham gás lacrimogêneo e as vermelhas pimenta. As balas de borracha foram usadas para intimidar, já que eram centenas de pessoas para um pequeno contingente de policiais, segundo o militar. Ele revelou ainda ao Paraná Portal que os 50 policiais militares deverão ser exonerados. 

ESCRITO POR: PEDRO / PARANÁ PORTAL

Prefeitura pagou R$ 9,9 milhões por sistema nunca usado pelo Samu


Compra de 101 equipamentos ocorreu durante gestão Kassab, em 2012.
Notebooks seguem guardados em depósito, sem utilização.

César Galvão Da TV Globo, em São Paulo
A Controladoria Geral do Município (CGM) constatou em auditoria finalizada nesta semana que a Prefeitura de São Paulo pagou por sistema e equipamentos de informática que não foram usados pelo Serviço de Atendimento Móvel (Samu). O contratação ocorreu durante a gestão do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

A assessoria de Kassab informou em nota que a contratação da empresa seguiu todos os trâmites legais (veja abaixo).  Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destacou que a responsabilidade de todos os servidores envolvidos no processo será devidamente apurada. Também esclareceu que há uma sindicância em andamento para apuração de irregularidades conforme auditoria da CGM e que, ao final, tomará  as providencias cabíveis com relação às ações a serem executadas.
O sistema e os equipamentos foram contratados da empresa Tevec, contratada entre 28 de junho de 2012 e 28 de fevereiro de 2014. Foram comprados 101 unidades dos equipamentos, uma espécie de notebook. Eles deveriam ajudar no controle de administração das bases do Samu.

Os recursos federais para compra dos equipamentos e manutenção é do Fundo Nacional de Saúde. De acordo com o relatório da CGM, a contratação inicialmente se deu com o pagamento de R$ 7,9 milhões para implantação e execução do sistema em 72 (setenta e duas) bases operacionais do SAMU. Em dezembro de 2012, foi feito um acréscimo para que mais 28 bases fossem adicionadas, totalizando os R$ 9,9 milhões.

O engenheiro Guilherme Ribeiro, da Tevec Metodologias e Sistema Ltda, disse que os os computadores foram exaustivamente utilizados durante dois anos.
"Durante esses dois anos foi exaustivamente usado, muito usado. Eram três servidores e mais ou menos uns cem tablets. De um ano para cá, depois que nós paramos de operar porque rescindiu o contrato, eles deveriam estar usando por conta deles. Se eles não usaram mais, não sei", afirmou.
O engenheiro afirmou que, antes de ser descontinuado, o contrato funcionava bem.
"Nós fizemos um contrato de sistema de gestão do Samu. Foi muito bem sucedida durante a gestão Kassab. Depois entrou a gestão PT que continuou também muito bem sucedida. Há cerca de um ano entrou um novo diretor que não continuou o contrato. O contrato tinha um prazo definido. Ele não renovou. Até a gente estar lá, o contrato estava funcionando maravilhosamente bem", afirmou.
Segundo o engenheiro, o contrato deu bons resultados e ganhou um prêmio internacional.

"O tempo de chegada da ambulância diminuiu de 36 minutos para 11. Foi tudo muito bem, foi um sucesso. Depois, o contrato não foi renovado, por uma questão interna deles. A partir daí a gente não sabe. Enquanto o contrato estava funcionando, foi um sucesso total em duas administrações. Todo mundo gostou. Cabe aqui uma parte importante. Esse sistema de gestão ganhou um prêmio internacional muito importante", afirmou.

Kassab
A assessoria do ex-prefeito Gilberto Kassab informou que a TEVEC foi contratada em meados de 2012, por meio de processo licitatório que seguiu todos os trâmites exigidos pela legislação, para implantação de sistema de controle e gerenciamento do Samu, tanto é que entre janeiro de 2013 e fevereiro de 2014 o contrato seguiu ativo e os pagamentos foram realizados.
Segundo a nota, a contratação previa a entrega de equipamentos e sistemas compatíveis com os já utilizados pelo SAMU (SISGRAPH), o que foi efetivamente cumprido pela contratada. Até o final de 2012 foi realizado pela empresa, como previsto em contrato, o diagnóstico das necessidades do SAMU, com o acompanhamento de técnicos, para o desenvolvimento dos relatórios que seriam usados pelos funcionários nos toughbooks.
Ainda de acordo com a assessoria de Kassab, o novo sistema permitia controle muito mais ágil e rígido do almoxarifado do serviço, eliminava a necessidade de elaboração das escalas de trabalho, por meio de reconhecimeto biométrico dos funcionários, e permitia acompanhamento de informações de todos os atendimentos realizados em tempo real na sala de situação do SAMU.
Os socorristas utilizavam os toughbooks, por exemplo, para preencher o checklist dos pacientes em atendimento, enviando informações sobre sua condição que permitiam intervenções mais precisas e direcionamento para equipamentos mais adequados, conforme o caso.
Os toughbooks são modelos utilizados em situações de guerra, por suas funcionalidades e grande durabilidade. Ao final de 2012, os equipamentos e o sistema estavam prontos para a plena execução dos serviços previstos em contrato.
Segundo a assessoria de Kassab, foram investimentos em sistemas como esse, realizados durante a gestão Kassab, que permitiram que o tempo-resposta para as prioridades caisse de 35 minutos, em 2004, para 10 minutos em 2012.
As bases do serviço passaram de 34, em 2004, para 100 em dezembro de 2012. Os investimentos resultaram no reconhecimento do SAMU como Centro Acreditado de Excelência em Despacho de Emergências Médicas conferido pela organização internacional National Academies of Emergency Dispatch (NAED) (www.emergencydispatch.org), o primeiro da America Latina.

Em protesto, comerciantes fecham avenida JK em Palmas


Eles cobram mudanças no estacionamento rotativo.
Prefeitura anunciou mudanças, como o tempo mínimo de cobrança.

Do G1 TO
Manifestantes deitaram no asfalto para impedir a passagem de veículos (Foto: Priscilla Lima/TV Anhanguera)Manifestantes deitaram no asfalto para impedir a passagem de veículos (Foto: Priscilla Lima/TV Anhanguera)
Os comerciantes de Palmas fecharam as lojas na manhã desta quarta-feira (29) e saíram às ruas para protestar. Com faixas e usando roupas de cor preta, eles fecharam os dois sentidos da avenida Juscelino Kubitschek, nas quadras 104 Sul e 104 Norte e até deitaram no asfalto para impedir a passagem de veículos. O protesto é contra o estacionamento rotativo implantado na capital em fevereiro deste ano.
Os comerciantes querem mudanças no modelo do estacionamento rotativo. Eles alegam que o movimento nas lojas diminuiu e que a Prefeitura de Palmas deveria estabelecer uma tolerância mínima. A mobilização começou por volta de 8h e terminou por volta das 10h.
Protesto dos comerciantes aconteceu na manhã desta quarta-feira (29) (Foto: Priscilla Lima/TV Anhanguera)Protesto dos comerciantes aconteceu na manhã
desta quarta-feira (29)
(Foto: Priscilla Lima/TV Anhanguera)
Após o início da manifestação, a Prefeitura de Palmas informou que o estacionamento vai passar por algumas alterações. Dentre as principais mudanças que serão feitas destacam-se a isenção de cobrança de tarifa aos sábados por 120 dias. Ainda no mesmo prazo, a empresa deve acrescentar totens (parquímetros) que permitirão o pagamento com cédulas, moedas ou cartões de débito e crédito.
O município afirmou ainda que o tempo mínimo de cobrança será de 15 minutos ficando estabelecido o valor de R$ 0,50 para carros e R$ 0,38 para motocicletas. Na cobrança que estava sendo feita, não havia tolerância sendo que o valor mínimo era R$ 1 para carro e R$ 0,75 para moto.
Ainda está previsto um bônus de duas horas para todos os usuários e novos cadastrados via smartphone e a isenção de cobrança nas vagas de carga e descarga pelo período de duas horas, segundo as informações.
Manifestantes protestaram em frente ao prédio da Prefeitura de Palmas (Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)Manifestantes protestaram em frente ao prédio da Prefeitura de Palmas (Foto: Gleydsson Nunes/CBN Tocantins)

Mexicano transforma Fusca de museu em carro elétrico


Modelo 1995 fazia parte de exposição sobre anos 60 em museu.
Veículo foi comprado por cerca de US$ 2 mil em leilão.

Do G1, em São Paulo
Rene Peña converteu um Fusca 1995 para ser movido a energia elétrica (Foto: Daniel Becerril / Reuters)Rene Peña converteu um Fusca 1995 para ser movido a energia elétrica (Foto: Daniel Becerril / Reuters)
O mexicano René Peña pode dizer que conseguiu unir o psicodélico e o sustentável com uma versão elétrica do Fusca, conhecido pelo apelido de "vocho" no país desde a década de 1980.
Mas a história do "vocho" de Peña começou apenas em 2013, quando o Museu de História Nacional, em Monterrei, decidiu leiloar uma peça do acervo: um Fusca, modelo 1995, pintado com temática dos anos 1960.
Artista pintou o carro para exposição sobre os anos 1960 (Foto: Daniel Becerril / Reuters)Artista pintou o carro para exposição sobre os anos 1960 (Foto: Daniel Becerril / Reuters)
O veículo ficou exposto por 5 anos antes de ser comprado por Peña, por cerca de US$ 2 mil (R$ 5,8 mil na conversão de 28/04), em um leilão promovido pelo museu.
Com ajuda de mecânicos e especialistas, Peña converteu o Fusca para ser movido apenas por energia elétrica e agora desfila pelas ruas da cidade.
Baterias ficam na parte de trás do veículo (Foto: Daniel Becerril / Reuters)Baterias ficam na parte de trás do veículo (Foto: Daniel Becerril / Reuters)
Motor à combustão foi completamente retirado do modelo (Foto: Daniel Becerril / Reuters)Motor à combustão foi completamente retirado do modelo (Foto: Daniel Becerril / Reuters)
Dono chamou especialistas e mecânicos para ajudar na conversão (Foto: Daniel Becerril / Reuters)Dono chamou especialistas e mecânicos para ajudar na conversão (Foto: Daniel Becerril / Reuters)

Foguete russo descontrolado está caindo em direção à Terra

Progress se destruirá ao chegar na atmosfera

O foguete russo Progress M-27M está caindo de maneira descontrolada em direção à Terra e não se sabe os danos que ele poderá causar ao cair, informaram fontes da indústria espacial à agência de notícias russa "Interfax" nesta quarta-feira (29).
Lançada nesta terça-feira (28), a nave possui 2,5 toneladas em suprimentos e deveria ter chegado seis horas após seu lançamento na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). Ela serviria para abastecer os seis tripulantes da ISS. A Progress está girando em seu próprio eixo e será destruída ao chegar na atmosfera. Ainda de acordo com a agência, a queda dos detritos deve ocorrer "entre os dias 7 e 11 de maio" em local não identificado. Os operadores russos tentaram fazer contato por duas vezes com o foguete, mas não conseguiram reassumir o controle da nave. O custo estimado do equipamento é de US$ 90 milhões e não há informações oficiais sobre qual defeito ele apresentou.
A próxima viagem com suprimentos para os astronautas está programada apenas para o dia 8 de agosto, mas fontes garantem que há alimentação e combustível suficientes para manter a equipe de especialistas no espaço.

STF mantém regras antigas para renovação de contratos do Fies

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, deferiu parcialmente liminar do Partido Socialista Brasileiro (PSB) , que questiona a alteração das regras do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) que passaram a exigir desempenho mínimo no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A cautelar determina a não aplicação das novas regras aos estudantes que postulam a renovação de contratos, “em respeito ao princípio da segurança jurídica”, e prorroga o prazo para renovação até 29 de maio. No caso, porém, dos estudantes que pleiteiam ingresso no sistema no primeiro semestre de 2015, a exigência de desempenho mínimo foi mantida. A decisão ainda será submetida a referendo do Plenário da Corte.
O partido alega que a alteração introduzida por portaria do Ministério da Educação (MEC) tornou mais rígidas as regras do programa, destinado ao financiamento de cursos de graduação em instituições particulares de ensino superior, e estabeleceu critérios retroativos, violando o princípio da segurança jurídica.
No exame do pedido, o ministro Barroso entendeu que há controvérsia de fato quanto à aplicação retroativa apenas em relação aos estudantes que já obtiveram o financiamento e que já estão cursando o ensino superior. “Enquanto a Advocacia-Geral da União afirma que as novas normas não atingem este grupo, o PSB e o procurador-geral da República defendem a existência de indícios de aplicação retroativa das novas exigências a tal grupo”, afirmou.
Para o relator, “a situação de incerteza quanto ao alcance das novas exigências é suficiente para a configuração da plausibilidade do direito invocado pelo requerente, no que respeita à violação à segurança jurídica dos estudantes que já se encontram no sistema e que não estão conseguindo renovar seus contratos”. Ele considerou presente também o requisito do perigo na demora da decisão, tendo em vista a exiguidade do prazo para a renovação de contratos face ao grande volume de ajustes a serem renovados.
“A cautelar será útil, caso se confirme o entendimento do PSB, de que o desempenho mínimo no Enem está sendo exigido para a renovação dos contratos. E será inócua, caso prevaleça o entendimento da Advocacia-Geral da União, de não incidência na hipótese de renovação”, observou. “Desse modo, em nenhum dos casos haverá prejuízo para o Poder Público”.
Em relação aos estudantes que ainda não têm contrato com o FIES, porém, o ministro entendeu não haver direito adquirido à obtenção do financiamento com base nas regras anteriores. “A jurisprudência do STF é pacífica no sentido de não reconhecer o direito adquirido a regime jurídico”, afirmou. “Tampouco há ato jurídico perfeito se os contratos de financiamento ainda não foram celebrados”.
Luís Roberto Barroso acrescentou que, no caso, as condições para a obtenção do financiamento foram alteradas antes do início do prazo para requerimento da contratação junto ao FIES para o primeiro semestre de 2015. E destacou ainda que o prazo para ingresso no programa em 2015 iniciou-se em fevereiro de 2015, e a Portaria Normativa 21/2014, que estabeleceu os novos requisitos, passou a vigorar apenas em março. Portanto, nesse período, a inscrição era possível pela regra antiga, sem a comprovação de desempenho mínimo no Enem.
A respeito da exigência de média superior a 450 pontos e de nota superior a zero na redação do Enem, o ministro entendeu ser “absolutamente razoável” como critério de seleção. “Afinal, os recursos públicos – limitados e escassos – devem se prestar a financiar aqueles que têm melhores condições de aproveitamento. Trata-se, portanto, de exigência que atende aos imperativos de moralidade, impessoalidade e eficiência a que se submete a Administração Pública”, concluiu.

Cingapura e suas lições na indústria, infraestrutura, estratégia e educação

Lee Kuan Yew, líder fundador da cidade-estado, garantiu crescimento recorde ao local

Cingapura, mesmo com suas peculiaridades, seguiu uma trajetória que fornece alguns ensinamentos a outros países. Sob a tutela de Lee Kuan Yew, morto no mês passado aos 91 anos, saiu do terceiro para o "Primeiro Mundo", e conquistou um PIB de 7% ao ano, em média, por quatro décadas. Apesar do modelo restritivo aos civis, do ponto de vista econômico, a total abertura comercial favoreceu o crescimento, apontam economistas.
"A esta altura do ano da graça de 2015 e em meio as nossas dúvidas sobre o horizonte dos rumos nacionais, é grande o número de opiniões a circular, em geral calcadas, como nos é tradicional, em exemplos estrangeiros. Indicam-nos os mais diversos modelos e alertam-nos para a inconveniência de outros tantos. Aconselham-nos a seguir ou a evitar tais ou quais passos que estão em voga. Mas em geral a fonte das ideias gira em torno da Europa, dos Estados Unidos ou de vizinhos da América Latina", diz J. Martins Oliveira na abertura de seu artigo Um exemplo melhor para o Brasil, no qual ele discorre sobre a trajetória do líder fundador e ex-primeiro ministro de Cingapura, Lee Kuan Yew, que deixou suas memórias no livro The Singapore story.
Martins Oliveira, então, aponta os méritos de Lee, que "conseguiu em três décadas catapultar Singapura 'do terceiro para o Primeiro Mundo", sob condições adversas, "sem espaço territorial além de uma ilha superpopulosa, sem recursos naturais e povoada por uma massa de imigrantes poliglotas com poucos traços em comum". Aponta em seguida o grande sucesso econômico, com o PIB a 7% de crescimento ao ano, em média, por quatro décadas. Chama a atenção do articulista também a prática da cidade-estado com seus ministros, os mais bem pagos do mundo para atrair talentos do setor privado e coibir a corrupção.
"Tudo aqui (no Brasil) é completamente diferente de Singapura, mas o que diz Lee Kuan Yew em sua história tem muita coisa a ser considerada", conclui Martins Oliveira.
Adriano Gianturco, professor dos cursos de Economia e Relações Internacionais do Ibmec, destaca que, basicamente, o que aconteceu em Cingapura é que a cidade-estado adotou um dos modelos mais abertos de mercado, com liberdade econômica para importações e exportações. "Cingapura tem 400% de importação em cima do PIB, algo incrível. O Brasil, que tem políticas muito protecionistas, tem 12,6% de importações e exportações, somadas, em cima do PIB. Cingapura tem 200% só de importações. Então, importa muito, e exatamente por isso é um país muito rico."
Gianturco chama atenção para o fato de ser um "fator indispensável" a países pequenos se abrir ao mercado, pela pouca vantagem comparativa a outros países. "Eles precisam necessariamente se abrir, fortalece os negócios, isso em termos de abertura econômica. Cingapura está entre os mais abertos. No que se refere às liberdades civis e individuais, na área mais política, é um modelo muito autoritário, muito restritivo, podemos falar, conservador. Tem penalidades fortíssimas para crimes. Por outro lado, do ponto de vista econômico, tem uma abertura quase total."
Os países mais fechados, continuou o professor, são geralmente os maiores, como Brasil e Rússia. "Em Cingapura, eles tentaram um modelo diferente e não deu certo, e aí entenderam que a única alternativa era se abrir. E isso foi feito de forma burocrática, política, de cima para baixo. Lá, foi um planejamento muito pró-mercado."
Para o professor, no Brasil, existe esse mito de que importar é muito ruim. O protecionismo, então, gera uma exclusão comercial, com produtos caros e de baixa qualidade, com tendência a oligopólios e monopólios. "O Brasil é uma economia de monopólios, de preços altíssimos e qualidade péssima em qualquer produto. O Brasil, sendo tão grande, pode se dar o luxo de se fechar e postergar essa necessidade de se abrir, que é uma necessidade, em todo o caso."
Martins Oliveira, em seu artigo, destaca que poucos governantes personificaram e dominaram seus países como Lee, "talvez Fidel Castro", diz, "que não rivaliza com os feitos de Lee". Para Gianturco, Cuba e Cingapura representam dois modelos absolutamente diferentes. Cingapura não é um modelo exatamente liberal, devido ao autoritarismo entre os civis, mas o é do ponto de vista econômico. "A minha esperança é que, depois da ditadura Castro, Cuba possa se abrir e representar uma Cingapura dos Caribes", destaca Gianturco.
Geraldo Biasoto Jr., professor licenciado do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, salienta que um dos aspectos em relação a Cingapura é que trata-se do desenvolvimento de uma Cidade-Estado, muito diferente do que é desenvolver um país em âmbito continental. Além disso, há uma certa situação ditatorial em Cingapura, que é aberta comercialmente, mas com "uma mão de ferro do governo", então "não é um Estado efetivamente democrático".
Cingapura, contudo, aponta Biasoto, de fato, apresenta lições para o Brasil. Primeiro, o fato de que eles se preocuparam desde sempre com a indústria. A participação da indústria de Cingapura dentro do PIB é de 26%, mais que o dobro da brasileira, "não deveria ser assim, afinal de contas, não há nem espaço para ter indústria". Outro aspecto é em relação à educação, para o professor, dá para ver em toda a trajetória do líder Lee que sempre houve uma preocupação com mérito e com educação.
"Cingapura tem um parque de logística de transportes, que é absurdo, dos mais movimentados do mundo. Uma coisa que foi muito importante para eles foi a questão financeira, como eles abriram para ser um centro de finanças, e houve uma espécie de revoada de controles financeiros de outros países para se instalarem em Cingapura, eles ganharam densidade nisso, e uma coisa atraiu a outra", destaca Biasoto.

Os pilares da Difusora


Hoje (30), quando comemora seus 55 anos, completados no último dia 21, a rádio Difusora só tem que agradecer a três comunicadores que seguram a liderança da emissora: Orlando Cardoso, Cacá Ferreira e Roberto de Souza. Como âncoras dos programas, eles seguram os 24 pontos da audiência consolidada da RD, segundo pesquisa recente da Sócio Estatística. Coincidentemente, Orlando, Cacá e Roberto apresentam suas atrações nesta sequencia de horário: 7, 9 e 12 horas, todos pela manhã. Orlando Cardoso, o mais experiente e o mais velho radialista em ação no rádio itabunense, é, também, o que mais aglutina ouvintes para a Difusora. Apesar de ser um índice baixo (24 pontos -já foi 60), o "ibope" da RD é quase três vezes maior que o da Jornal, a segunda colocada, mas está a 14 pontos abaixo da Bahia FM Sul, para quem perdeu público ao longo dos anos. O rádio AM, prestes a sair do analógico para o digital (FM), ainda tem muita força junto ao público,. Só para citar como exemplo, a Sociedade, em Salvador, tem mais audiência que todas as outras juntas, inclusive as FMs. O mesmo acontece com a Globo (RJ e SP) e a Gaúcha em Porto Alegre. Estas emissoras já estão transmitindo em AM e FM, até que o sinal analógico seja desligado. Em Itabuna, os donos das rádios estão "dormindo". Só vão "acordar" quando o Ministério das Comunicações desligar o AM. A FESTA - “Será uma festa que, por certo, ficará marcada em nossa história”, acredita o diretor da rádio, Antônio Badaró. O otimismo de Badaró faz sentido porque todos os ingredientes para que o aniversário se transforme efetivamente numa grande festa, estão garantidos. Entre outras coisas, incluindo possíveis surpresas para o público, já estão confirmados quatro shows musicais e homenagens a comunicadores e personalidades que contribuíram ou ainda contribuem, de alguma forma, para a evolução da radiofonia local e regional. A festa será realizada a partir das 20 horas de hoje 30, na Praça Rio Cachoeira, ao ar livre, do jeito que o povo gosta. A data de aniversário da Difusora é 21 deste mês, mas a direção da emissora preferiu comemorar dia 30 por causa do feriado de 1º de Maio –Dia Internacional do Trabalho.

Com hiperglicemia, jovem morta após beber no DF não pôde tomar glicose


Camille Xavier participava de encontro de alunos de relações internacionais.
Polícia apura se houve abuso na ingestão de álcool; garota tinha 19 anos.

Raquel Morais Do G1 DF
A estudante Camille Barroco Xavier (Foto: Facebook/Reprodução)A estudante universitária Camille Barroco Xavier
(Foto: Facebook/Reprodução)
Responsável pela investigação, o delegado Marco Antônio de Almeida diz acreditar que não tenha havido crime na morte de uma jovem de 19 anos por suposto abuso no consumo de bebida alcoólica durante um encontro estudantil em Brasília. Camille Barroco Xavier passou mal na madrugada de sexta-feira logo após ingerir bebida durante uma festa do 20º Encontro Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais (Eneri). Ela foi encaminhada ao Hospital Regional da Asa Norte e morreu meia hora depois.
"O que me parece é que ocorreu uma fatalidade. Pelo que temos até agora, não me parece que houve crime, alguém forçando a moça a beber, colocando algo no suco dela, por exemplo. A amiga que a acompanhava falou para os médicos que a moça já tinha um problema de hiperglicemia e que bebeu uma quantidade elevada. Por causa do problema de saúde, ela não pôde tomar glicose [venosa] no hospital", diz o delegado.
O congresso aconteceu entre os dias 22 e 25 de abril no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Camille passou mal durante uma festa ocorrida na madrugada de sexta (24). A garota morava no Rio de Janeiro e estudava na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).
O corpo dela foi examinado no Instituto Médico Legal. A mãe esteve em Brasília para acompanhar o traslado. "Ela estava em aparente estado de choque", afirma Almeida. "A filha era muito nova, só tinha 19 anos, veio para um encontro de estudantes. É algo para o qual ninguém está pronto."
A comissão organizadora do Eneri afirmou em nota que a menina recebeu os primeiros socorros de uma equipe médica ainda no local do evento. Ao todo havia 1,3 mil congressistas inscritos no encontro.
"O Eneri não recebeu informações oficiais sobre a causa da morte. E, em respeito a essa tragédia e aos familiares da estudante falecida, não poderá se manifestar a partir de suposições sobre o que levou ao falecimento. Todos nós lamentamos muito o ocorrido e transmitimos nossas condolências aos familiares e amigos da congressista", declarou.
Despedidas
O G1 tentou contato com familiares de Camille, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem. Por meio de redes sociais, muitos deixaram mensagens de despedida para a garota. Uma das pessoas que prestou homenagem, Walquiria Barroco disse estar "com um buraco no peito".
"[Deus] Nos dê força, pois não sei como lidar com esta perda. Como será não ouvir mais o dinda, como será não ouvir reclamar que mexer no frango é nojento e que quando cozinhava comigo era acabar com as unhas e que quando eu implicava com você era bullying? Ai, Deus, ajude-nos, porque esta perda é a dor de perder uma filha. Te amo eternamente", escreveu.
Publicação em rede social lamenta morte de Camille Xavier (Foto: Facebook/Reprodução)Publicação em rede social lamenta morte de Camille Xavier (Foto: Facebook/Reprodução)
Muller Barroco também lamentou a situação e agradeceu a menina pelos "19 anos, 1 mês, 16 dias lindos" compartilhados. "Não consigo expressar em palavras o quanto vou sentir sua falta, do seu sorriso bobo, do seu jeito de moleca, mas, principalmente, do bem que fazia estar perto de você", escreveu em uma rede social.
Laudo
O laudo do Instituto Médico Legal com a causa da morte deve ser concluído em até um mês. Durante o período, também serão ouvidas testemunhas para que a polícia possa desvendar as circunstâncias que culminaram com o incidente. A corporação disse que não vai se pronunciar por enquanto a respeito das investigações.
O site do evento afirma que estavam previstas palestras, minicursos, mesas redondas, workshops e três festas. A primeira delas aconteceu na quinta-feira (23) e tinha como tema “Soy Loco Por Ti América”. Camille teria passado mal durante a comemoração.
A segunda festa aconteceu na sexta, com o tema “O Mundo Bipolar – EUA x URSS”. A última delas foi de encerramento, no sábado, com o tema "Do Outro Lado".
Por e-mail, o Itamaraty disse desconhecer o caso, mas lamentou o ocorrido. O Ministério das Relações Exteriores apoia institucionalmente o encontro.