quinta-feira, 30 de junho de 2016


'WSJ': Real tem a maior valorização entre todas as moedas mundiais

Matéria diz que real pode chegar a 3,0 por dólar, valor não visto desde maio de 2015


Matéria publicada no jornal norte-americano The Wall Street Journal nesta quinta-feira (30) conta que o real brasileiro atingiu o seu nível mais alto em relação ao dólar em mais de 11 meses na quarta-feira (29) como o Banco Central do país não interferindo para diminuir a queda da moeda dos EUA.
Segundo a reportagem, o real foi negociado a 3,2522 por dólar, depois de fechar em 3,3035 na terça-feira (28). A última vez que o real foi negociado na faixa de quarta-feira (29) foi no final de julho do ano passado.
 A última vez que o real foi negociado na faixa de quarta-feira (29) foi no final de julho do ano passado
 A última vez que o real foi negociado na faixa de quarta-feira (29) foi no final de julho do ano passado
O WSJ diz que o Banco Central do Brasil vinha tentando manter um nível de cerca de 3,5 em relação ao dólar ha vários meses, de acordo com Luiz Carlos Baldan, diretor da corretora Fourtrade, em São Paulo. O banco recentemente recebeu um novo presidente, o ex-economista do mercado Ilan Goldfajn, substituindo Alexandre Tombini.
O banco estava optando pela não intervenção na moeda, sob as expectativas de que o Federal Reserve EUA estava prestes a elevar os juros e depois recuaram. Nessa situação, o real se fortaleceu e os mercados já esperavam que o banco central intervisse.
O Journal afirma em seu texto que o real pode chegar a 3,0 por dólar, um nível não visto desde maio do ano passado, se o banco não intervém, disse Baldan. O verdadeiro forte está prejudicando exportadores, embora, e o banco poderia tomar medidas o mais rapidamente quarta-feira, acrescentou.

Operação investiga cartel em licitações de ferrovias

Norte-Sul, que já havia sido denunciada em 1987, é novamente alvo


A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) e a Polícia Federal cumprem nesta quinta-feira (30) 17 mandados de busca e apreensão em 12 empresas de engenharia envolvidas em um suposto cartel em licitações da Engenharia, Construções e Ferrovias S/A (Valec), em obras para implantação da Ferrovia Norte-Sul e da Ferrovia Integração Oeste-Leste.
Estão sendo cumpridos ainda 27 mandados de busca e apreensão pelo MPF/GO e pela Polícia Federal em outras empresas de engenharia e em residências, além de 14 mandados de condução coercitiva.
A PF informou, ainda, que as diligências em curso são para recolher provas adicionais do envolvimento de empreiteiras e de seus executivos na prática de cartel, fraude em licitações e pagamentos de propina a ex-diretores da Valec.
"Foram obtidas informações de que as bases da conduta anticompetitiva podem ter sido formadas já na fase preliminar do cartel, antes do ano de 2000, por meio da inserção de disposições nos editais das licitações destinadas a restringir a competitividade dos certames", diz a PF.
Fraude em 1987
Vale lembrar que a ferrovia Norte-Sul já teve irregularidades apontadas em 1987, quando o colunista da Folha de S. Paulo Jânio de Freitas denunciou acerto prévio entre empreiteiras. Jânio revelou que havia sido fraudulenta e determinada por corrupção a concorrência pública, cujos resultados o governo havia divulgado na noite anterior, para construção da ferrovia Maranhão-Brasília (ou Norte-Sul).
A Folha havia publicado os 18 vencedores, disfarçadamente, cinco dias antes, quando os envelopes com as propostas concorrentes ainda não haviam sido abertos pela estatal Valec e pelo Ministério dos Transportes. Veja a reportagem:
Capa da 'Folha de S. Paulo' mostrando que, cinco dias antes, o jornal já havia antecipado os vencedores da licitação
Capa da 'Folha de S. Paulo' mostrando que, cinco dias antes, o jornal já havia antecipado os vencedores da licitação

Operação
Ao todo, 51 servidores do Cade e 200 policiais federais participam da chamada Operação Tabela Periódica – um desdobramento da Operação Lava Jato. Os mandados estão sendo cumpridos no Distrito Federal, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Ceará, Paraná, Bahia, Espírito Santo e Goiás.
Segundo o MPF/GO, a operação é uma referência ao nome que alguns dos próprios investigados deram a uma planilha de controle em que desenhavam o mapa do cartel e cuja aparência lembrava a Tabela Periódica, contendo dados como a relação das licitações, a divisão combinada dos lotes, os números dos contratos, os nomes das empreiteiras ou consórcios que seriam contemplados, valores dos orçamentos da Valec, preços combinados e propostas de cobertura apresentadas, apenas para dar aparência de competição e simulação de descontos a serem concedidos.
Acordo de leniência
Na busca e apreensão de hoje, investiga-se principalmente o crime de cartel. A investigação desse cartel pelo Cade ocorre por meio de um inquérito administrativo baseado em acordo de leniência, feito em abril, com a empresa Camargo Corrêa e alguns de seus funcionários e ex-funcionários. Esse acordo de leniência foi assinado também pelo MPF/GO.
As investigações do Cade, MPF/GO e Polícia Federal apontaram indícios de cartel em acordos para divisão de licitações entre concorrentes com vantagens para acabar com o caráter competitivo de algumas licitações da Valec destinadas a obras em trechos das Ferrovias Norte-Sul e Oeste-Leste. Segundo o Cade, essas práticas ilícitas, se comprovadas, tendem a apontar que diversas obras ferroviárias no Brasil foram executadas a preços maiores, em prejuízo dos usuários de transporte ferroviário e dos cofres públicos.
Os indícios iniciais apontam que o cartel pode ter começado, pelo menos, no ano de 2000, tendo durado até 2010, e durante esse período pode ter envolvido pelo menos, 37 empresas. Desse total, 16 empresas foram apontadas no acordo de leniência como participantes efetivas, enquanto 21 seriam possíveis participantes.
Em fevereiro, o MPF/GO e a Polícia Federal já haviam deflagrado a Operação O Recebedor que investiga esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e crimes de licitação envolvendo grandes empreiteiras na construção de ferrovias da Valec. Em maio, oito envolvidos foram denunciados pelo MPF/GO à Justiça.
Com Agência Brasil

Apesar das pressões, Cunha reafirma: "Não irei renunciar"


Enquanto cresce a pressão pela renúncia do presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nas redes sociais, o parlamentar reforça o que já vem afirmando nos últimos meses. “Mais uma vez reafirmo que não irei renunciar”, disse no Twitter.
Nesta quinta-feira (30), o primeiro-secretário da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP) defendeu, após participar de cerimônia no Palácio do Planalto, que Cunha renuncie. "Eu, como primeiro-secretário, convivi por mais de um ano com a administração do presidente Eduardo Cunha. Ele fez, na minha opinião, um bom trabalho, só que agora não dá para continuar sangrando a Câmara como está sendo sangrada. Então, defendo que o Eduardo Cunha renuncie ao mandato [cargo] de presidente da Câmara, para que, em cinco sessões, possamos ter um novo presidente. Não estou discutindo nomes, nada disso, mas acho que segunda fará 60 dias que o Cunha está afastado e a Câmara está acéfala. Então, defendo que ele renuncie ao mandato de presidente da Câmara", disse Beto Mansur.
No Twitter, Cunha rebateu. “Apenas para afirmar que, apesar de todo o respeito pela opinião de qualquer deputado, não tenho porta-voz.”
“Mais uma vez reafirmo que não irei renunciar”, disse Eduardo Cunha
“Mais uma vez reafirmo que não irei renunciar”, disse Eduardo Cunha

Nárcio Rodrigues e mais 14 pessoas são denunciados por desvio de recursos públicos


O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) encaminhou à Justiça denúncias contra o ex-deputado federal e ex-secretário de Estado, Nárcio Rodrigues (PSDB), e mais 14 pessoas por desvios de recursos públicos nas obras da Fundação HidroEx, dedicada à pesquisa sobre recursos hídricos e sediada em Frutal, reduto eleitoral do político. Parte do dinheiro desviado teria sido utilizada para bancar custos de campanhas eleitorais de prefeituras em 2012. A acusação foi acatada pelo juiz da Vara Criminal de Frutal, Luiz Gustavo Moreira, o que torna os 15 envolvidos réus.

A denúncia divide o desvio de recurso em duas acusações. A primeira, envolvendo a licitação e as obras do Complexo das Águas, apontam fraude na licitação, organização criminosa, peculato e tentativa de embaraçar a investigação com alterações de documentos. Os envolvidos teriam direcionado a licitação, beneficiando a empresa vencedora Construtora Waldemar Pollizi Ltda (CWP). Durante as obras, a empresa teria sido beneficiada com desvios da ordem de R$ 8,771 milhões, recurso vindo, por exemplo, de serviços não executados e de pagamento em duplicidade.

 
Nárcio Rodrigues
Nárcio Rodrigues (PSDB), e mais 15 pessoas foram denunciadas pelo MPMG por desvios de recursos públicos nas obras da Fundação HidroEx. Caso será analisado pelo juiz da Vara Criminal de Frutal, Luiz Gustavo Moreira 

A segunda acusação, que também teve a participação de Nárcio Rodrigues como peça central, segundo o MPMG, é a de um acordo ilícito para financiar as campanhas eleitorais, firmado entre agentes do poder público e o grupo português Yser. A empresa daria benefícios financeiros para os agentes públicos em troca de vantagem indevida. Em linhas gerais, o grupo Yser receberia R$ 15 milhões por meio do que chamaram de “financiamento a fundo perdido” e em troca daria R$ 3 milhões para supostamente serem usados em campanha eleitoral. Segundo as investigações, o ex-secretário solicitou e recebeu do grupo, no semestre de 2012, 400 mil euros, por meio de contas em paraísos fiscais (Samoa e Hong Kong).

Ao todo, oito pessoas estão presas, incluindo o ex-secretário, e uma, foragida. Esse último é o presidente do grupo Yser, Bernardo Maia, que tudo indica estar em Portugal. Os outros seis envolvidos estão aguardando o julgamento em liberdade.

Aleluia busca apoio para presidir Câmara


Deputado federal do DEM se articula para viabilizar candidatura e assumir vaga de Cunha

por
Aparecido Silva
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) afastou o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da Presidência da Câmara dos Deputados, comanda o Legislativo interinamente o primeiro vice-presidente Waldir Maranhão (PP-MA). Com a chegada do vice-presidente Michel Temer à Presidência da República, partidos aliados ao novo governo, como o DEM e o PSDB, passaram a pedir que fosse declarada vacância no comando da Casa, mas a Mesa Diretora não atendeu ao pleito.
O deputado federal baiano José Carlos Aleluia (DEM) chegou a acionar o STF com um mandado de segurança pedindo que fosse declarado vago o posto de presidente da Câmara e com isso uma nova eleição teria que ser realizada, mas a ação ainda não foi apreciada pela ministra Rosa Weber.
Agora, enquanto o posto segue sem definição quanto ao futuro, Aleluia tenta articular apoio para se colocar na disputa pela Presidência da Câmara. “Estamos viabilizando um nome que possa tirar a Câmara dessa dificuldade. Não é meu nome o único colocado, é preciso ter um nome que possa trazer de volta a normalidade na Casa e possa responder a demanda da sociedade”, apontou o democrata em entrevista à Tribuna.
Deputado federal em seu sexto mandato, o presidente do Democratas na Bahia tem a seu favor a experiência nos trâmites parlamentares, conhecimento no regimento, proximidade com o prefeito ACM Neto e a confiança do presidente Michel Temer. Apesar do currículo, o legislador tenta costurar sua aceitação entre a bancada de oposição. “Quem quer um posto como esse, tem que ter compromissos com a governabilidade, ter respeito com a oposição, com o voto de cada deputado e com a demanda da sociedade”, enumerou.
Segundo Aleluia, o pedido feito ao STF para que declare vago o cargo de presidente da Câmara não perdeu objeto com a aprovação do relatório no Conselho de Ética da Casa que pede a cassação do mandato de Cunha. “Não perdeu o objeto, a ação ainda pode ser decidida a qualquer momento pela ministra relatora Rosa Weber”, lembrou.
“Os deputados estão sendo violados no seu direito de ter como presidente alguém que represente a Casa. E não podemos manter um deputado federal afastado mantendo prerrogativas de presidente da Casa, recebendo salário, segurança e casa. O presidente da Câmara hoje é um prisioneiro do palácio”, disse Aleluia na época do ingresso do mandado de segurança na Corte.
IMBASSAHY - Os deputados federais baianos Antônio Imbassahy e Jutahy Magalhães Júnior, ambos do PSDB, também já tiveram os nomes ventilados para a disputa da Presidência da Câmara dos Deputados desde que Eduardo Cunha foi afastado do posto.
Imbassahy, que lidera a bancada tucana no Legislativo, fez elogios ao colega agora governista, mas com ressalvas. “Acho um nome elogiável, que reúne todas as qualidades para exercer a função. Agora tem que aguardar a confirmação da vacância do cargo, porque é um processo complexo”, frisou. Enquanto cresce a bolsa de apostas para a Presidência, Cunha segue resistente à ideia de renunciar ao cargo do qual está afastado. Ontem, o peemedebista reforçou, nas redes sociais, o posicionamento. “Não existe qualquer discussão de renúncia”, enfatizou.

TCM mantém rejeição de contas da prefeitura de Ilhéus


Em sessão plenária realizada no dia 29 de junho, o plenário do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) manteve a rejeição das contas da Prefeitura de Ilhéus, referentes ao exercício de 2014, pelo motivo exclusivo do descumprimento do limite máximo de gastos com despesas de pessoal. A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) estabelece o índice de 54% como limite para gastos com pagamento de salários. A atual administração conseguiu reduzir cerca de dez pontos percentuais o índice deixado pela gestão anterior. Por sua vez, o prefeito do Município, Jabes Ribeiro, informou que ingressará com ação na Justiça, por entender que alguns elementos não foram considerados pelo Tribunal de Contas, e que, após análise do Poder Judiciário, acredita que haverá suspensão da decisão daquele colegiado. Desde 2013, quando assumiu a administração de Ilhéus – pelo quarto mandato, o prefeito implementou um programa de ajuste fiscal com a finalidade de reduzir o gasto com pessoal que, à época, comprometia mais de 70% da Receita Corrente Líquida (RCL) do município. Hoje, esse índice, como atesta o próprio TCM, se aproxima de 61%, após uma série de medidas adotadas pelo gestor, como a redução de cargos comissionados, cortes de despesas e a elevação das receitas próprias, através do novo Código Tributário Municipal. Afirma ainda o prefeito Jabes Ribeiro, que a fundamentação da rejeição das contas – limite da despesa com pessoal – não acarreta em sua inelegibilidade, uma vez que não se trata de irregularidade insanável, que configure ato doloso de improbidade administrativa. Salienta também que não houve nenhum ato que provocasse dano ao erário. (Políticos do Sul da Bahia)

Samsung estaria editando selfies sem permissão do usuário


Publicada pelo Leia Já, site parceiro do Tribuna da Bahia

por
Nathália Guimarães
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Foto: Reprodução / Instagram
Blogueira Mel Wells denuncia que filtro editou a foto sem sua permissão
A fabricante sul-coreana Samsung foi acusada de editar selfies sem a permissão de seus usuários, clareando e afinando o rosto sempre que alguém tira uma foto com a câmera frontal de smartphones da linha Galaxy – uma das mais populares da marca. Muita gente não gostou do recurso e utilizou as redes sociais para reclamar. As informações são do site Business Insider.
Foi o caso da blogueira Mel Wells, que publicou uma reclamação sarcástica aos seus 21 mil seguidores do Instagram. "Obrigada, Samsung, mas prefiro manter minhas imperfeições e sardas já que é desta forma que eu sou na vida real e é assim que meus amigos me enxergam", escreveu, informando também que o recurso é ativado por padrão.
Wells acredita que o filtro pode ser prejudicial para as mulheres jovens, já que impõe um padrão de beleza magro e de pele clara. Outros usuários, no entanto, minimizaram o caso. "A Samsung é uma empresa coreana, e na Ásia as pessoas simplesmente adoram filtros como estes. A Samsung apenas ativou como padrão um recurso que é popular na sua terra natal", escreveu um seguidor da blogueira.
O burburinho foi tanto que um porta-voz da Samsung precisou se posicionar sobre o caso. "Na Samsung, oferecemos uma série de configurações da câmera dos celulares para que os clientes sejam capazes de escolher. Esta é uma dessas configurações, que sabemos que nossos clientes adoram. Há a opção de ligar ou desligar, dependendo da preferência pessoal", explicou um porta-voz da empresa.

Justiça bloqueia R$ 19,5 milhões das contas do WhatsApp


Publicada pelo Leia Já, site parceiro do Tribuna da Bahia

por
Nathália Guimarães
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Foto: Reprodução
Aplicativo de mensagens foi comprado pelo Facebook por US$ 22 bilhões
A Justiça Federal em Londrina, no Paraná, multou o WhatsApp em R$ 19,5 milhões. O aplicativo, que pertence ao Facebook, descumpriu decisão judicial de liberar mensagens trocadas na plataforma por traficantes investigados pela Polícia Federal (PF).
A ação é um desdobramento da Operação Quijarro, que prendeu uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro nessa quarta-feira (29/6).
O valor de R$ 19,5 milhões é referente ao acumulo de multas de cinco meses. Apesar de ter suas contas bloqueadas no Brasil, o serviço continua funcionando normalmente em todo o território nacional.
O WhatsApp não forneceu informações trocadas por traficantes no aplicativo. A Justiça Federal autorizou a interceptação dos dados, mas a empresa recursou o acesso às mensagens.
Por não fornecer informações em outras investigações policiais, o WhatsApp chegou a ficar bloqueado por duas vezes no Brasil. Na última ocasião, em maio, o serviço teve seu funcionamento interrompido por 24 horas. Em 2014, o aplicativo de mensagens foi comprado pelo Facebook por US$ 22 bilhões.

Foragido da PF encontrado em motel em Pernambuco morreu envenenado


A causa da morte foi confirmada hoje (30) pela Polícia Científica de Pernambuco

por
Sumaia Villela - Correspondente da Agência Brasil
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
O empresário Paulo César de Barros Morato, foragido da Operação Turbulência e encontrado sem vida no dia 22 de junho em um motel em Olinda (PE), morreu por envenenamento. A causa da morte foi confirmada hoje (30) pela Polícia Científica de Pernambuco.
A conclusão é de exames de DNA, histopatológico e toxicológico realizados nas vísceras do empresário. Segundo a polícia, não há a como saber, por enquanto, se Morato foi envenenado por alguém ou se tomou o veneno sozinho.
Tecnicamente, o termo que indica o envenenamento no laudo é “intoxicação exógena”. A substância encontrada no corpo de Morato é o organofosforado, presente na composição de um inseticida conhecido como chumbinho.
As informações foram divulgadas por meio de nota e nenhum representante da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS/PE) ou da Polícia Científica deu entrevistas sobre o caso.
Ainda faltam ser concluídas as perícias das imagens das câmeras de segurança e de impressões digitais (papiloscópica), química, tanatoscópica e do local da morte, que têm prazo de 10 dias.
A previsão é que o corpo de Paulo César Morato seja liberado para a família amanhã (1º).
Operação Turbulência
Paulo César Morato foi encontrado morto em um quarto de motel em Olinda no dia 22 de junho. O empresário era investigado na Operação Turbulência e estava foragido da Polícia Federal. De acordo com as investigações, Morato era testa de ferro de uma organização criminosa de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 600 milhões desde 2010.
A rede atuava como financiadora de campanhas políticas, entre elas a do ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República Eduardo Campos (PSB), inclusive da compra do avião usado por ele nas eleições presidenciais de 2014, cuja queda o matou e a mais seis pessoas.

Brasil, república podre do lulopetismo: uma bosta institucional.


No post do Antagonista, o alerta. Essa bosta de país não tem mais jeito mesmo:


O Antagonista apurou que a decisão de Dias Toffoli contou com o respaldo de boa parte dos ministros do Supremo.

Ao revogar a prisão de Paulo Bernardo e condenar duramente o que chamou de “antecipação de pena”, Toffoli cumpre uma agenda articulada por políticos – com foro e sem – que estão na mira da Lava Jato.

Se a tese de Toffoli prosperar, Lula não será preso, Renan não será preso, nem Cunha, Romero Jucá ou Dilma.

É o fim da Lava Jato. É gravíssimo.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

A Festa da Agricultura


A Festa Junina é o evento que mais aproxima o meio rural das grandes cidades, faz o urbano ser caipira por um dia. No Brasil, tem sua origem no agradecimento pelas chuvas no Nordeste – vitais para a lavoura – e na celebração da colheita de milho nesta época. É a festa da agricultura, época de Santo Antonio e São João, deliciosamente comemorada tradicionalmente em junho, julho e até mesmo agosto com receitas tradicionais que são muito mais do que quitutes, representam a força e a riqueza do campo.
Diversos povos da Antiguidade, como os celtas e os egípcios, aproveitavam a ocasião do Solstício de Verão no Hemisfério Norte (e de Inverno no Hemisfério Sul) para organizar rituais em que pediam fartura nas colheitas. O curioso é que os índios que habitavam o Brasil antes da chegada dos portugueses também faziam importantes rituais no mesmo mês.
Apesar de essa época marcar o início do Inverno brasileiro, eles tinham várias celebrações ligadas à agricultura, com cantos, danças e muita comida. Com a chegada dos jesuítas portugueses, os costumes indígenas e o caráter religioso dos festejos juninos se fundiram.
A valorização da vida caipira nessas comemorações reflete a organização da sociedade brasileira até meados do século 20, quando 70% da população viviam no campo. Hoje em dia, representa o aquecimento da economia regional - como nos casos excepcionais de Campina Grande (PB) e Caruraru (PE) que, juntas, movimentam anualmente cerca de R$ 300 milhões ao receberem aproximadamente 7 milhões de visitantes.
Ao analisarmos o Valor da Produção Agropecuária (VPA) do Estado de São Paulo, elaborado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, podemos perceber que produtos típicos desta época cheia de festa são verdadeiros campeões de lucratividade para o produtor rural.
São alguns dos responsáveis por auxiliar o crescimento do VPA em 14,6% de 2014 para 2015. O território paulista pode se orgulhar por produzir, sozinho, nada menos do que 90% de todo o amendoim brasileiro, sendo responsável por 100% das exportações da matéria-prima para doces juninos indispensáveis como paçoca, cajuzinho, bolo e pé-de-moleque.
Importante alternativa de renovação dos canaviais paulistas, o amendoim traz mais boas notícias em 2016, com elevação mensal do preço pago ao produtor pela saca de 25 quilos: R$ 40,85 em março, R$ 42,95 em abril e R$ 46,93 em maio. Em 2015, somente no Estado de São Paulo, foram produzidas 346.800 toneladas em 108.900 hectares. E a previsão de aumento na safra para este ano é de 12,3%.
Centro das atenções, o milho faz pipoca, bolo, suco, curau, pamonha, broa e canjica e, de 2014 para 2015, teve aumento de 8,77% em seu valor, passando de R$ 22,93 para R$ 24,94 pagos pela saca de 60 quilos. A produção também aumentou, saindo de 64.015.278 sacas de 60 quilos em 2014 para 76.144.574 sacas de 60 quilos em 2015, aumento de 18,95%.
A produção de madeira de eucalipto, utilizada nas fogueiras, também teve crescimento em seu valor: passou de R$ 90,71 por metro quadrado em 2014 para R$ 98,09 por metro quadrado em 2015 – 8,14% a mais de renda para o silvicultor paulista.
A madeira de pinus também traz bons números: aumentou 25,32% sua produção de 2014 para 2015 – de 2.884.700 metros quadrados para 3.615.000 metros quadrados. O preço médio subiu de R$ 80,92 em 2014 para R$ 89,65 em 2015, elevação de 10,68% em apenas um ano.
A batata-doce paulista é outro bom exemplo de delícia junina que gera renda ao produtor rural. A produção no Estado aumentou 40,15%, passando de 3.892.412 caixas de 22 quilos em 2014 para 5.455.125 no ano passado – totalizando R$ 117.597.965,58 de renda.
A mandioca também cresceu em produção: 15,86% - saindo de 969.394 toneladas em 2014 para 1.123.126 toneladas em 2015. São Paulo é o quinto Estado maior produtor nacional, mas tem a maior produtividade média: 66% superior à média nacional.
Ao passear com sua família e seus amigos pelas diversas barraquinhas juninas, não se esqueça de que, além de alegria e confraternização, as comidas típicas representam dinheiro no bolso de famílias que vivem no e do campo. Elas são ótima alternativa para que essas pessoas pulem a fogueira da crise econômica sem se queimar.
30/06/2016
Arnaldo Jardim é deputado federal licenciado (PPS-SP) e secretario de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Veríssimo, o mastodonte esquerdista, e o Brexit.


Com razão, Rodrigo Constantino desce a lenha no escritor gaúcho Luiz Fernando Veríssimo, um primata socialista, defensor de Dilma e de Lula, que malha os ingleses pelo Brexit. É um sujeito que envergonha a memória de Érico, seu pai e grande escritor:


Já publiquei aqui vários textos com argumentos em defesa do Brexit, da escolha dos britânicos, em plebiscito democrático, de sair da UE. Há, claro, bons argumentos contrários a essa decisão também, já que não se trata de um tema simples, o que deveria servir para rejeitar as análises simplistas, do tipo “só ignorantes, movidos pela xenofobia, votaram pela saída”.

Demétrio Magnoli, um sociólogo de esquerda que tem o meu respeito, apresentou alguns desses argumentos legítimos em sua coluna de hoje. Discordo dele, como em muitas ocasiões, mas é alguém com quem se deve manter um diálogo construtivo. Diz Demétrio:

"Atrás do resultado do plebiscito, espreita uma “excepcionalidade inglesa” incrustada no passado distante. Os defensores do Brexit insistiram na ideia de “recuperar o controle”, tocando no nervo sensível do conceito de soberania. Desde a Magna Carta, a Inglaterra elaborou uma identidade política organizada em torno de um foco único de soberania, que é o Parlamento. Na Europa continental, em contraste, a autoridade política dividiu-se em complexas camadas superpostas, entrelaçando ducados, principados e reinos. A submissão parcial do Parlamento nacional a Bruxelas — isto é, às instituições europeias — nada tem de chocante na experiência histórica alemã, mas representa uma anomalia para os ingleses. Nesse sentido, é temerário prever que o Brexit produza efeitos em cascata, derrubando uma a uma as peças que formam a coleção da UE.

A “história profunda” conta, mas existe a história recente. O projeto da unidade europeia recebeu impulso decisivo do “fator Stalin”, ou seja, da percepção de que a URSS representava uma ameaça existencial às democracias ocidentais. O Tratado de Paris de 1951, ponto de partida da aventura europeia, foi firmado apenas dois anos depois do Tratado do Atlântico Norte, que criou a Otan e conectou aos EUA o destino geopolítico da Europa Ocidental. A Otan, por sua vez, nasceu no berço da primeira grande crise da Guerra Fria: a bipartição da Alemanha em dois Estados. “Europa”, na Guerra Fria, significava uma fortaleza protegida pelos mísseis americanos e pelas instituições supranacionais da Comunidade Europeia. O Reino Unido, que ingressou nessa fortaleza sob a dupla pressão de Washington e do desmantelamento do Império Britânico, decide abandoná-la quando já não mais existe a ameaça original".

Sim, o Reino Unido não gosta da ideia de abandonar seu poder para o poder distante de Bruxelas, e está certo nisso. Sim, a UE surgiu para tentar trazer paz para a região após tantas desgraças, mas seu papel nessa conquista parece supervalorizado. Sem o poderio americano ali, nada seria possível. E o casamento político forçado não é garantia de paz no convívio. Talvez seja até o contrário. O debate é legítimo, porém.

Mas você sabe que os britânicos tomaram a decisão acertada quando aparece um socialista como Verissimo, defensor do PT, para lamentar sua escolha, culpar o “populismo” (nessa hora a esquerda odeia a democracia e o povo), e aproveitar para elogiar Karl Marx no caminho. É um show de horror! Vejam:

"Se a União Europeia foi uma das melhores invenções da humanidade depois da escada rolante e do pudim de laranja, é triste ver a Inglaterra liderando o que pode muito bem ser o começo do fim da comunidade. A velha Inglaterra de Cromwell e os primeiros suspiros republicanos, do parlamentarismo espalhado pelo mundo junto com as canhoneiras, da Revolução Industrial e científica, dos poetas, de Shakespeare, dos Beatles, meu Deus, da Kate Winslet! — dando um passo atrás e recolhendo-se ao seu isolamento. E pior, pelo medo de estrangeiros, logo ela, que levou o terror do imperialismo branco a todos os cantos da Terra.

Foi a intensa cobrança feita no Parlamento inglês que, finalmente, levou à Abolição da Escravatura, não por qualquer questão econômica, mas por uma imposição moral. A resistência inglesa aos ataques da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial inspirou o mundo. Talvez tenha sido uma nostalgia atávica do sentimento que manteve a ilha sem ajuda mas unida durante os ataques que inspirou o voto populista, agora. Seria melhor se a inspiração viesse da luta pelo fim da escravatura.

Foi na sala de leitura do British Museum em Londres que Karl Marx escreveu boa parte do “Das Kapital” e desfiou suas ideias sobre uma comunidade humana unida pela solidariedade e pela justiça, sem fronteiras nacionais ou de classes. O sonho utópico de Marx era uma união pelo comunismo, mas só a parte sobre a solidariedade sem fronteiras já serviria, se o populismo não tivesse ido longe demais. Triste, triste".

Triste é ver esses “intelectuais” tupiniquins defendendo o marxismo em pleno século XXI, tentando enganar trouxas com esse papo de “solidariedade”. Triste é ver alguém dizendo que os britânicos escolheram o isolamento, e não a independência. Triste é ver o espaço que alguém tão limitado como Verissimo tem nos jornais brasileiros, o que explica muito de nosso fracasso fabricado. Triste mesmo, mas muito triste, a ponto de se tornar hilário, é ver um defensor do PT querendo dar aulas de democracia para os ingleses. Para os ingleses!!!

Verissimo certamente lamentou quando os conservadores Churchill e Thatcher chegaram ao poder no Reino Unido, para salvar a nação do caos. Verissimo só não é mais ridículo por falta de mais espaço ainda na imprensa. Se ele tivesse uma coluna diária em dez jornais, em vez de escrever “só” umas 4 vezes por semana em uns 3 jornais importantes, sem dúvida ele provaria que o céu é o limite para tanta falta de noção e bom senso. O pobre e ignorante britânico deveria escutar mais o sábio e esclarecido Verissimo. Quem sabe assim o Reino Unido não poderia ser uma potência como a Venezuela! 
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Ibicaraí se irrita com salário de políticos



Moradores de Ibicaraí estão revoltados com os vereadores que, na semana passada, aprovaram reajuste dos próprios salários. Os parlamentares aumentaram os vencimentos de R$ 5 mil para R$ 7.090.

Os vereadores decidiram ainda aumentar o salário para o prefeito, vice e secretários. O prefeito de Ibicaraí deverá ganhar R$ 15 mil, contra os R$ 12 mil de hoje, que já era um dos maiores entre municípios com menos de 30 mil habitantes.

Os moradores de Ibicaraí afirmam que o salário de R$ 15 mil é pago em municípios como Itabuna, que tem arrecadação muito superior. Os salários dos vereadores também serão similares aos pagos em Itabuna, de 214 mil habitantes.

Pelo projeto aprovado na Câmara de Ibicaraí, o salário do vice-prefeito passará de R$ 6 mil para R$ 7.500, enquanto os dos secretários subirão de R$ 4.500 para R$ 5.200. Os novos salários não combinam com a miséria da cidade.  JORNAL A REGIÃO

Crise aumenta furto de energia elétrica




A média do índice de perdas das operadoras de energia elétrica foi de 10,89% no ano passado. Nos 12 meses que terminaram em maio, o número já estava em 13%, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel.

Além das perdas técnicas, executivos acreditam que o motivo por trás das variações altas são as perdas não
técnicas, que incluem furtos de energia, erros de medição, de faturamento e outros desvios.

O deputado federal, Eduardo Cury, do PSDB de São Paulo, diz que "se tem 13% de perda ou ligações clandestinas, tem que pagar 13% a mais da sua conta, que já é cara, para compensar isso".

"Muitas dessas pessoas que fazem os 'gatos' são as que estão perdendo os empregos, mas muita gente também faz porque quer se beneficiar em cima de outras pessoas que, na verdade, pagam corretamente suas contas."

De acordo com a Aneel, a tendência é que o furto de energia ainda cresça em velocidades mais altas. De Brasília, Luana Patriolino.   JORNAL A REGIÃO

Ilhéus vai sediar Seminário de Museologia



A Biblioteca Municipal Adonias Filho sediará o I Seminário de Museologia e Patrimônio de Ilhéus na sexta-feira, 1º, a partir das 9h. O evento é uma realização da Rede de Museus e Pontos de Memória do Sul da Bahia.

O evento faz parte das comemorações dos 25 anos do Museu da Piedade e dos 100 anos do Instituto Nossa Senhora da Piedade. Anarleide Menezes, gestora do Museu, explica que o evento é aberto para gestores de Museus e Memoriais.

Também para arquitetos, párocos detentores de acervo de arte sacra, estudantes de história e de turismo, membros do Conselho Municipal de Cultura e qualquer pessoa interessada em discutir sobre o patrimônio histórico.

O I Seminário de Museologia e Patrimônio de Ilhéus visa a ampliar as discussões sobre os rumos do Patrimônio Cultural e Artístico da Região Sul da Bahia.

A mesa de abertura, às 9h, será composta por representantes do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC, Prefeitura de Ilhéus, Universidade Estadual de Santa Cruz, Secretaria de Cultura de Ilhéus.  JORNAL A REGIÃO

Cresce o prestígio póstumo da Rainha Maria Antonieta



 
Gregorio Vivanco Lopes  
 
 

Fala-se que uma das razões da Inglaterra ter saído da União Europeia, é que a Rainha Elizabeth teria se declarado por essa solução. E como seu prestígio é imenso nas ilhas britânicas, isso teria influído decisivamente no resultado do plebiscito. O fato não é certo, pois não existe comprovação de que a Rainha Elizabeth tenha se pronunciado a respeito do plebiscito. Entretanto, fato ou boato, o prestígio da realeza na Grã Bretanha é indiscutível e se mostra a todo momento.
Isso nos leva a falar de uma outra Rainha-símbolo a Rainha Maria Antonieta de França.
Mais de 220 anos após ter sido guilhotinada pela Revolução Francesa, o prestígio e a admiração pela rainha Maria Antonieta cresce no mundo contemporâneo.
Símbolo da realeza feminina, Maria Antonieta, essa filha dos imperadores da Áustria, casada com o rei da França Luís XVI, serviu de símbolo-alvo para o ódio revolucionário que se desencadeou no final do século XVIII contra a monarquia e a Religião.
A fim de “justificar” a sanha ululante que os animava, os revolucionários de 1789 inventaram contra Maria Antonieta toda espécie de calúnias. Chamavam-na pejorativamente de “a austríaca”, “orgulhosa”, “Madame déficit”. Ante o povo que não tinha pão (devido a manobras executadas pelos clubes revolucionários para produzir revolta) ela teria afirmado: “Se não têm pão, comam brioche”, frase que, na verdade, ela nunca disse, mas se encontra em livro do filósofo revolucionário Jean Jacques Rousseau, publicado... vinte anos antes da Revolução Francesa!
Passada a onda antimonárquica, historiadores imparciais debruçaram-se sobre os fatos e jogaram água fria sobre a febricitação revolucionária. Maria Antonieta começou a aparecer então a nossos contemporâneos, já a partir da segunda metade do século XX, na sua verdadeira estatura.
Não queremos absolutamente insinuar que ela foi uma santa. Não é disso que se trata. A menos, é claro, que seu martírio, levado com tanta dignidade e com tanto espírito católico, tenha feito dela verdadeiramente uma rainha-mártir. A ponto de ter-se ela negado, catolicamente, nos últimos momentos de sua vida, a receber qualquer sacramento de um padre juramentado (assim eram chamados os sacerdotes que haviam jurado a herética Constituição Civil do Clero).
Mártir da Igreja perseguida, mártir também da monarquia ultrajada.
Hoje em dia as apreciações se inverteram, e Maria Antonieta é cada vez mais venerada na França. Um julgamento simulado, feito em Paris por ocasião do bicentenário da Revolução Francesa, proporcionou-lhe uma estrondosa absolvição. Ela tem sido revivida em filmes, em exposições, em objetos de arte.
Trata-se de um fenomenal revide da História. O mais sintomático, porém, é que a mudança não ocorre apenas da França. Pelo mundo afora a Rainha mártir é cada vez mais simpatizada.
                     (*) Gregorio Vivanco Lopes é advogado e colaborador da ABIM
  
 

 
 
 
Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)

A devastação da pornografia na Internet


 
 
Plinio Maria Solimeo (*)
 
 
Superando o número de viciados no “crack” e na heroína, a adição à pornografia na Internet surge no mundo moderno como uma nova forma de vício, com resultados mais devastadores do que os provocados por essas drogas tradicionais.
Quase 30% do tráfico produzido na Internet em nível global se referem à pornografia. Segundo estimativas de especialistas, esse mercado detém 146 milhões de páginas na web, visitadas diariamente por milhões de pessoas, com ingressos de milhões de dólares, superando os das grandes companhias como Google, Microsoft, eBay, Appel ou Netflix.
Para o Instituto Max Planck, da Alemanha, que vem estudando o assunto, “um dos problemas que aponta o autor é que precisamente hoje em dia se tem um grande acesso a essa droga (vivemos na era das comunicações), em qualquer lugar e inclusive em qualquer momento [com internet nos celulares e semelhantes]. A isto se há que somar, como foi dito, o grande número de páginas da web dedicado à pornografia, que cada dia, por certo, é maior”.
Isso porque “a pornografia se converteu em algo ‘normal’ nesta época, na que se difundem sem nenhum pudor condutas sexuais através das numerosas maneiras que existem hoje em dia de ‘compartilhar’ algo. Não é estranho encontrar-se com uma ‘erotização’ da cultura, de uma ‘pornificação’ da sociedade, na qual tudo vale, e na qual o normal é criar ícones sexuais para todo tipo de pessoas, a pornografia e o sexo ao gosto do consumidor”.
Eis o problema maior, para ficarmos agora só no terreno meramente material: “Esta nova droga tem também uma série de efeitos no cérebro de quem a consome, modificando a massa cerebral depois de longas horas de exposição à pornografia, tal como avaliam alguns estudos científicos levados a cabo na Alemanha pelo Instituto Max Planck”(1)
Cientistas da Universidade de Cambridge também “estudaram recentemente o cérebro de pessoas que consomem muita pornografia e levaram um susto: ele funciona exatamente da mesma forma que o cérebro de viciados em drogas. O lobo frontal foi a área que mostrou muitas similaridades. Esta é a região responsável, entre outras coisas, pela formação de nossos julgamentos — nos ajuda a decidir o que é certo ou errado, bom ou mau, seguro ou perigoso"(2). Quer dizer, a pessoa adicta perde a noção do bem e do mal, da verdade e do erro. Com isso, torna-se vítima passiva de toda sorte de desmandos, tanto na linha religiosa, quanto moral e social.
O pior de tudo é que, segundo notícia desse site que vimos citando, há uma verdadeira indústria da pornografia na Internet. De acordo com a revista americana “The Week”, “a indústria pornográfica movimenta, no mundo, US$ 97 bilhões todos os anos. O pornô, apenas nos Estados Unidos, é responsável por quase 13% desse montante — e a net, pela metade disso”.
Tal revista apresenta uma estatística assombrosa sobre o vício de adição à pornografia na Internet, no mundo: 12% dos sites que existem na internet são pornográficos — ou, em números atuais, 76,2 milhões; 25% das pesquisas em ferramentas de busca envolvem sexo — o que dá 750 milhões de consultas diárias; 35% dos downloads são pornográficos; 8% dos e-mails transmitidos diariamente têm conteúdo sexual; 89% de toda a pornografia da internet é criada nos EUA; 20% dos homens confessam que veem pornografia no meio do expediente de trabalho; 70% dos homens com idades entre 18 e 24 anos visitam sites pornográficos ao menos uma vez por mês.
Mas a degringolada moral não para aí: 1 em cada 4 pessoas que entram em sites pornográficos é mulher [a que ponto chegou a degradação do sexo feminino!]; no mundo inteiro, chineses, japoneses, americanos e sul-coreanos são os que mais consomem [quer dizer, onde há mais prosperidade material, cresce a degradação moral]; 266 novos sites pornôs surgem todos os dias na internet [isso não ocorreria sem uma ação muito especial do demônio]; R$6,7 bilhões são gerados anualmente com o webporn me, só nos EUA.
A celeridade com que um número cada vez maior de pessoas adere à pornografia online já está levantando algumas reações de médicos, educadores e pessoas concernidas, sobretudo com a educação dos jovens. Desse modo, já há livros e artigos de imprensa tratando do problema, enquanto alguns governos estão tomando providências para contorna-lo.
Por exemplo, “o governador Gary R. Herbert, do estado de Utah, nos Estados Unidos, assinou uma resolução e um projeto de lei declarando a pornografia ‘um perigo para a saúde pública, que conduz a um amplo espectro de efeitos nocivos para a sociedade’”. “Os legisladores [do Estado] assinalam que a pornografia tem um efeito prejudicial na família, porque ‘diminui nos homens jovens o desejo de casar-se, gera insatisfação no matrimônio, e infidelidade’. Em resposta a isso, a resolução advoga pela ‘educação, a prevenção, a investigação e a mudança de política’”.
A porta-voz da diocese de Salt Lake City, capital do Estado de Utah, também se pronunciou, dizendo que essa medida “afirma nossa crença na dignidade inviolável da pessoa humana, revelada plenamente por Cristo, e o dom da sexualidade humana e do matrimônio como plano de Deus”(3).
Contudo, por mais que se faça no campo das leis e de controle da internet pelo governo, não passará de medidas paliativas, pois tudo isso não é senão o reflexo de uma crise religiosa e moral muito maior na qual jaz o mundo atual. Enfraquecido na humanidade o amor de Deus, perdeu-se a noção do bem e do mal, da verdade e do erro, e, sobretudo, a noção de pecado.
Com efeito, o que mais salta aos olhos nessa adição à pornografia é o número de pecados contra a virtude da castidade. Sua gravidade é tal, que um só pecado mortal — o mais grave dos males —, pode levar quem o pratica à condenação eterna.
Sem esta noção do pecado que assim se comete, não há freio capaz de conter tal avalanche de degradação.
Antigamente as pessoas tinham a Igreja Católica na conta de guardiã da verdade e da moralidade. Os Dez Mandamentos da Lei de Deus e os da Igreja eram a norma de vida. — O “Não pecarás contra a castidade”, e “Não desejarás a mulher do próximo” eram a norma de conduta.
Mas, infelizmente, essa crise penetrou até no interior da Igreja, sobretudo a partir do Concílio Vaticano II, que abriu as janelas para que os ventos do mundo nela penetrassem. Com isso, pouco auxílio encontram os fiéis, tornados órfãos daquela que é a Cátedra da Verdade.
Para piorar o quadro, com as uniões livres, o divórcio e o enfraquecimento dos laços de família, quase ninguém observa a castidade como Deus estabeleceu. E agentes poderosos como a mídia — principalmente a televisão, além do que já foi dito da Internet — divulgam a imoralidade mais crua, ao lado de uma amoralidade sem limites, não só nas inqualificáveis novelas em que predominam cenas escabrosas, linguagem chula e erotizante, mas até em anúncios de dentifrício ou de bombons.
Isso produziu nefastos efeitos no dia-a-dia das pessoas. Razão pela qual já foram incorporados à linguagem corrente, com todo o “direito de cidadania”, termos antes considerados palavrões, que até há pouco uma boca casta não proferia. Tais termos vão se generalizando tanto entre homens quanto mulheres. E podem ser vistos até em mensagens do facebook, nos quais eles aparecem com toda naturalidade ao lado de cenas escabrosas postadas mesmo por pessoas tidas como honestas e piedosas.
Essa avalanche contra a virtude da castidade é muito bafejada pelas modas atuais, cada vez mais próximas do nudismo total. Nossa Senhora em sua aparição em Fátima disse à menor das videntes de Fátima, Jacinta, que “os pecados que levam mais almas para o inferno, são os pecados da carne”. E Jacinta, por sua vez, declarou: “Hão de vir umas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. Nosso Senhor é sempre o mesmo" (4)
Na segunda aparição em Fátima, no dia 13 de junho de 1917, Nossa Senhora mostrou aos três videntes, Lúcia, Francisco e Jacinta, seu Coração Imaculado “cercado de espinhos, que pareciam estar nele cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria ultrajado pelos pecados da humanidade, que queria reparação" (5).
Se já naquela época, próxima do reinado de um Papa santo, São Pio X — em que os vestidos das mulheres chegavam até os pés e a vida de família era geralmente cristã, sem a desgraça do divórcio nem das uniões ilegítimas, para falar só disso —, era necessário entretanto reparar o Imaculado Coração de Maria “ultrajado pelos pecados da humanidade”. O que não é preciso fazer nos tristes tempos em que vivemos?

12 ESTATÍSTICAS SOBRE PORNOGRAFIA NA INTERNET QUE VÃO TE SURPREENDER
(3) http://www.religionenlibertad.com/estado-utah-califica-pornografia-como-peligro-para--49296.htm

El Estado de Utah califica la pornografía como «peligro para la salud pública con efectos nocivos»

(4) In Antônio Augusto Borelli Machado, As Aparições e a mensagem de Fátima conforme os manuscritos da Irmã Lúcia, Artpress, São Paulo, 1996, p. 66.
(5) Id. p. 42.
          ( * ) Plinio Maria Solimeo é escritor e colaborador da ABIM

 
 

 
 
 
Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)

CNPq na 68ª SBPC


 

CNPq ENTREGA PRÊMIOS DURANTE A SBPC


A partir do próximo domingo, dia 3, Porto Seguro (BA) será palco de um dos mais importantes encontros científicos do país, a Reunião Anual da SBPC. Em sua 68ª edição, o evento será realizado nas dependências da Universidade Federal do Sul da Bahia e contará com participação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico em diversas atividades.

Dentre elas, a tradicional entrega do Prêmio José Reis de Divulgação Científica, durante a abertura da Reunião Anual, no domingo, dia 3. Neste ano, o Prêmio José Reis foi concedido na modalidade "Pesquisador e Escritor" para Luisa Medeiros Massarani, do Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A premiada receberá R$ 20 mil e diploma e a participação na SBPC com palestra a ser proferida no dia 5 de julho, no Auditório Caraíva.

Luísa é coordenadora do Mestrado Acadêmico em Divulgação da Ciência, Tecnologia e Saúde da Casa de Oswaldo Cruz - Fiocruz, onde, desde 1987, realiza atividades práticas e de pesquisa em Divulgação Científica e integra o Núcleo de Estudos da Divulgação Científica do Museu da Vida.

Graduada em Comunicação Social pela PUC-Rio e Pós-doutora na University College London, Luísa é bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e atua na liderança e gestão de diversos grupos e redes de trabalho, tais como o Grupo de Pesquisa do CNPq Ciência, Comunicação & Sociedade; a SciDev.Net para América Latina e Caribe; e a rede de popularização da ciência e da tecnologia para a América Latina e o Caribe da Unesco. Em 2014, recebeu o Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia, na categoria integração, como líder do grupo.

Na segunda-feira, 4, acontecerá a entrega do Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica e Tecnológica (PICT) e do Prêmio Fotografia Ciência e Arte, no estande do CNPq na Expotec, espaço onde estão expostos os trabalhos dos Institutos e das Agências do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Ambas as cerimônias acontecem na Universidade Federal do Sul da Bahia, que sediará todas as atividades da SBPC.

No PICT, os premiados são: na Categoria Bolsista de Iniciação Científica: Gleison Adriano da Silva, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM); Bruna Domingues Vieira, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM); e  Dezyree Rodrigues da Rosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Na Categoria Bolsista de Iniciação Tecnológica: Flávia Arantes Pires Lage, da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL); Fernanda Pinhelli, da Universidade Federal do Paraná (UFPR); e Luan Souza Dutra, da Universidade Federal Fluminense (UFF). Será premiada, ainda, a Universidade Federal de Lavras (UFLA), na Categoria Mérito Institucional.

Os vencedores receberão R$ 7 mil em dinheiro, bolsas de mestrado e a participação na SBPC, na sessão de Pôsteres.

O Prêmio de Fotografia será entregue às primeiras colocadas das duas categorias: Andréa Pimentel Barreto – UFOPA: 1º lugar  Categoria I - Imagens produzidas por câmeras fotográficas; e Ângela Maria Sousa Costa – LNBio/CNPEM: 1º lugar Categoria II - Imagens produzidas por instrumentos especiais. Os demais vencedores receberão a premiação posteriormente. Todas as imagens vencedoras estarão expostas no estande do CNPq.

Prêmio José Reis
Destinado às iniciativas que contribuam significativamente para tornar a Ciência, a Tecnologia e a Inovação conhecidas do grande público, o prêmio é concedido anualmente pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq) desde 1978. O Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica é individual e é atribuído em um sistema de rodízio a uma das três categorias: "Jornalista em Ciência e Tecnologia", "Instituição ou Veículo de Comunicação" e "Pesquisador e Escritor".

Nesta edição, o Prêmio recebeu 45 inscrições de pesquisadores e escritores oriundos de universidades, autarquias, fundações, instituições de pesquisa e de ensino técnico e profissionalizante, museus, jornais, entre outros.



Premio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica

Em sua 13ª edição, o Prêmio premia os seis melhores trabalhos apresentados pelos bolsistas de Iniciação Científica e de Iniciação Tecnológica do CNPq e uma instituição na categoria Mérito Institucional. Ao todo participaram dessa edição 167 instituições de ensino e pesquisa, sendo 127 universidades e 40 institutos de pesquisa. As instituições encaminharam ao CNPq 467 relatórios dos bolsistas, sendo 192 de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; 156de Ciências da Vida e 119 de Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes.

O Prêmio de Fotografia - Ciência e Arte

O Prêmio tem como objetivos fomentar a produção de imagens com a temática de Ciência, Tecnologia e Inovação; contribuir com a divulgação e a popularização da ciência e tecnologia; e ampliar o banco de imagens do CNPq, e está voltado para estudantes de graduação e pós-graduação, docentes e pesquisadores brasileiros. Para obter mais informações, acesse a página do Prêmio www.premiofotografia.cnpq.br/web/pfca .

SERVIÇO


Entrega do Prêmio José Reis de Divulgação Científica

Dia: 3 de Julho de 2016 – Domingo – Durante a sessão solene de abertura da 68ª Reunião Anual da SBPC
Horário: 18h
Local: Auditório Monte Pascoal 1 (UFSB)

Entrega dos Prêmios Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica e Fotografia - Ciência e Arte
Dia: 4 de julho de 2016 - Segunda-feira
Horário: 14h
Local: Estande do CNPq na Expotec (UFSB)

Mais informações:

Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Mariana Galiza
61 99304-1740
61 3211-94 4
imprensa@cnpq.br